Três estudantes da rede estadual de ensino estão concorrendo à eleição do projeto Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM). Eles foram selecionados pela relevância dos projetos, que falam sobre a educação indígena, inserção no mundo do trabalho e a participação dos jovens na gestão escolar. Serão escolhidos 27 estudantes, um representante de cada estado. Para ser eleito e representar a Bahia, é preciso ter a maior votação pela internet, no link onde está o perfil de cada concorrente. A votação acontece até 5 de novembro e o resultado final será divulgado cinco dias depois.

O estudante indígena da etnia Pataxó, Emerson Torres Ferreira, 17 anos, da aldeia Pataxó Coroa Vermelha, localizada em Santa Cruz Cabrália, no extremo sul, é um dos concorrentes. Ele cursa o 2º ano no Colégio Estadual Indígena Coroa Vermelha e também atua como militante da União da Juventude Socialista. O seu projeto ‘Velhos Jovens’ busca valorização e o reconhecimento das lutas pelos direitos humanos dos povos indígenas.

Bruno William da Conceição Jorge, 15 anos, 1°ano no Colégio Estadual Maria Isabel de Melo Goes, no município de Catu (RMS), concorre com o projeto ‘Jovem trabalhador: possibilidades e perspectivas de inserção no mercado de trabalho, a partir do contexto escolar’, que busca “ajudar a sociedade jovem a ter mais acesso a oportunidades profissionais”. Quem também está na campanha por uma vaga é Admilson dos Santos Boaventura, aluno do Colégio Estadual Castro Alves, localizado em Adustina (nordeste). Seu projeto ‘Progresso Conjunto – Sua opinião faz a mudança’ propõe um modelo educacional no qual o estudante opine e participe das tomadas de decisões, juntamente com a gestão escolar.

O Parlamento Juvenil Mercosul tem o propósito de promover o protagonismo juvenil, no qual o estudante eleito de cada estado representará o Brasil em um mandato de dois anos (2016 a 2018). Os jovens serão convocados para um curso de formação em Brasília, onde recebem orientações sobre o papel do parlamentar juvenil , também participam de atividades em encontros nacionais e internacionais para trocarem experiências com estudantes dos demais países participantes. Saiba mais no Portal da Educação.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado