Os estudantes estão na contagem regressiva para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será realizado nos dias 5 e 6 de novembro, e buscam estratégias na preparação para as provas. No Centro Juvenil de Salvador, localizado no Colégio Estadual da Bahia – Central, no bairro de Nazaré, em Salvador, os alunos participam de uma oficina denominada ‘Batalha de Argumentos’, para melhorar a redação.

Divididos em grupos, eles fazem perguntas e respostas sobre prováveis temas e travam uma “disputa” de ideias. O debate qualificado contribui para o desenvolvimento do senso crítico, da interpretação e das argumentações contextualizadas, além de ser um diferencial também na preparação psicológica dos estudantes para o momento da prova.

“As oficinas são realizadas por meio do “debate regrado”, por meio do qual os participantes têm tempo determinado para argumentar sobre um tema específico, como alguns já trabalhados, como ‘cyberbullying’ e ‘meio ambiente’. Porém, antes disso, é feito um preparo para que os estudantes pesquisem e contextualizem as suas argumentações. Isso ajuda bastante no preparo do Enem, que tem questões interpretativas”, explica a professora de Linguagens, Elizabeth Maluf.

Centro Juvenil - Central
Debate qualificado contribui para o desenvolvimento do senso crítico e da interpretação

A docente destaca ainda que as ações estão sendo muito positivas e o desempenho dos alunos é surpreendente. “Trabalhamos com turmas do Colégio Estadual Aplicação Anísio Teixeira [na Paralela, em Salvador] e Central, havendo um grande comprometimento. Agora em outubro, vamos realizar uma ação com o Centro Noturno de Educação da Bahia (Ceneb – Junot Silveira) e as unidades que tiverem interesse podem entrar em contato com o Centro para que possamos ver a possibilidade de realizarmos com turmas de seus colégios”.

A estudante do 3º ano, Isadora Nascimento, 17, do Colégio Central, está motivada com o aprendizado. “Além de desenvolver nossa capacidade de interpretação, podemos também aprender a organizar nossos argumentos por meio de pesquisa, o que ajuda muito na dissertação cobrada no Enem”. Já o seu colega de turma, Décio Ventura, 17, diz que a participação lhe ajuda a ter um controle emocional melhor, “pois eu não podia dar uma opinião vazia, apenas por achar que estava certo. Tinha que argumentar de forma contextualizada e ética sobre o assunto debatido. Estou bastante empolgado em participar desta oficina”.

Espaços de educação complementar

Centro Juvenil

Os Centros Juvenis oferecem cursos e oficinas aos estudantes regularmente matriculados na rede estadual de ensino, que participam das atividades no turno contrário aos quais estão matriculados nas escolas estaduais. São espaços dedicados à educação complementar, ao lazer criativo, à interação social, ao conhecimento tecnológico, à ciência e a tantas outras formas de saber que ultrapassam o conhecimento convencional, ampliando o acesso da juventude baiana às temáticas contemporâneas.

Oportunizam também que os estudantes descubram sua vocação profissional a partir das experiências vivenciadas. Para atender a 11 mil estudantes, em 2016, o Estado conta com Centros Juvenis em Salvador, Senhor do Bonfim (centro norte), Itabuna (sul), Barreiras (oeste) e Vitória da Conquista (sudoeste).

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado