Mais um ciclo de atividades dos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba) foi iniciado na ultima segunda-feira (17), com a abertura de um novo centro no Nordeste de Amaralina, em Salvador. O projeto é parte das ações do Programa Pacto Pela Vida, do Governo do Estado, e tem como objetivo promover a inclusão social e levar desenvolvimento para crianças e adolescentes através do acesso à música. Já na primeira turma, 90 jovens com idade entre 8 e 18 anos serão beneficiados pela iniciativa.

Para o professor e supervisor do núcleo, Ednei Ipojucan, ao levar música para a comunidade, o núcleo faz com que os moradores tenham mais chances de superação. “Sabemos que essa é uma comunidade violenta e as crianças se encontram num estado de vulnerabilidade social. O poder da música é transformador, através dela é possível dar oportunidade a esses garotos de aprender uma arte e no futuro, quem sabe, até se tornarem profissionais”.

Luiz Luz, pai de Gisela, de 8 anos, inscreveu a pequena no curso com o desejo de que ela aprenda importantes lições que vão além da música. “É sempre muito bonito estar cercado por arte, que ensina respeito e outros valores. Eu quero que ela conheça mais sobre música clássica, sobre os instrumentos de sopro, mais futuramente que ela aprenda também o violoncelo, que acho muito bonito. Mas quero principalmente que ela não fique na rua, com tempo ocioso, cercada de más influências”.

O Neojiba beneficia 4,6 mil jovens em todo o estado, representando uma mudança de vida para eles. Juca Bahiense é um dos exemplos, ele é aluno do Coro Juvenil da Bahia e agora inicia uma nova etapa como professor do projeto no Nordeste de Amaralina. “Foi muito importante para o meu desenvolvimento, foi um agente de evolução e agora está me proporcionando participar desta ação de resgate cultural e social com essas crianças, por meio da música e do canto”.

Todas as atividades do novo núcleo são gratuitas e estão sendo realizadas em dois espaços do bairro. As aulas de iniciação musical acontecem no Centro Social Urbano (CSU), e o curso de instrumentos de sopros na Sociedade Recreativa da Filarmônica 1º de Maio, no Espaço Diplomata.


Repórter: Tácio Santos