Livros que tratam dos patrimônios culturais baianos, materiais e imateriais, produzidos pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), estarão abertos para parcerias que propiciem novas edições e lançamentos com outras instituições. “O conhecimento científico produzido pelo órgão deve ser disseminado para a sociedade e não ficar guardado apenas para uso técnico”, afirma o diretor-geral do órgão, João Carlos de Oliveira.

Segundo ele, todos os livros já estão disponíveis para download e podem ser acessados no site do instituto. “Mas estamos abertos para parcerias com instituições públicas e privadas que desejem reeditar e lançar essas publicações”. Entre os títulos do Ipac estão a Festa de Santa Bárbara, Pano da Costa, Carnaval de Maragojipe, Conjunto Escola Parque, Ofício dos Vaqueiros, Festa da Boa Morte e Desfile dos Afoxés e Terreiros de Candomblé de Cachoeira e São Félix.

Além dos livros foram publicadas Apostilas, onde estão compiladas palestras e debates sobre a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Afrobrasileiro, Festas Populares, Cortejo 2 de Julho, Circuitos Arqueológicos da Chapada Diamantina e a Experiência do ICMS Cultural de Minas Gerais.

Fonte: Ascom/ Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac)