O Grupo Paranã, com cerca de 20 integrantes, entre 16 a 29 anos, todos indígenas Tupinambá da região de Olivença (Litoral Sul) é uma das organizações cadastradas no Mapa da Juventude. Segundo um dos líderes do grupo, Adriano Bomfim Tupinambá, 29 anos, da aldeia Taba Jairy, o grupo começou a se formar da reunião de jovens que representavam a etnia nos Jogos Indígenas de Porto Seguro. Há mais de três anos, eles se reúnem para realizar ações de valorização da cultura Tupinambá, especialmente entre os jovens indígenas.

O grupo realiza eventos, bate-papos, palestras em escolas, trilhas, caminhadas, torneios e rituais, sempre com o objetivo de promover a cultura Tupinambá. “Vejo que o mais importante hoje para a juventude indígena é fortalecer o valor por sua cultura, buscar o conhecimento ancestral do seu povo, para que não seja apenas aquele índio da foto, sem conteúdo sobre sua cultura”, explica Adriano.

Segundo ele, o trabalho de resgate dos jogos indígenas nas aldeias é o mais importante, pois os jogos são a porta de entrada que despertam muitos jovens para a valorização da sua cultura. “Estamos caminhando para a 4ª edição dos nossos jogos, que acontecem no mês de abril, de forma itinerante, nas aldeias Tupinambá”, conta Adriano, que iniciou sua história no movimento indígena a partir do gosto pelos jogos. Hoje, ele é professor concursado do Governo do Estado, da escola indígena da sua aldeia, e é estudante do curso de Geografia da Uesc.

“Comecei a participar do movimento a partir dos jogos e passei a buscar o conhecimento com os anciões, conhecer mais sobre as ervas, os trajes, a cultura, a língua, e me tornei também artesão”, conta o jovem, que é casado e pai de um bebê de seis meses. Ele, e outros mais velhos no grupo, vão passando aos mais jovens os conhecimentos, a exemplo do ritual Porancin. “Nos reunimos uma vez por mês, de forma itinerante, para fazer o maior ritual sagrado do povo Tupinambá”, diz. Mais informações no site da Secretaria de de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social

Fonte: Ascom/Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS)