Aproximadamente 1.300 pessoas participaram do Mutirão de Cidadania realizado, no final de semana, no município de Paulo Afonso, no Vale do São Francisco, pela Caravana da Justiça Social, ação da Secretaria de Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado (SJDHDS)e entidades parceiras. Elas foram beneficiadas com diversos serviços como a gratuidade e emissão de 2ª via da certidão de nascimento, carteiras de identidade e trabalho, C.P.F e Passe Livre Intermunicipal. Houve também atendimento na área de saúde, a exemplo do odontológico e do exame de mamografia pelo programa Saúde sem Fronteiras Rastreamento de Câncer de Mama.

O mutirão aconteceu no Centro Social Urbano (CSU), bairro de Tancredo Neves II e, segundo a assessora especial da SJDHDS,  Luciana Santos, “o resultado dessa iniciativa do programa Pacto Pela Vida, que reúne um conjunto de serviços nas áreas de Justiça, direitos humanos e desenvolvimento social, interfere diretamente nas vidas das pessoas que mais precisam”. Ele enfatiza que o objetivo da secretaria, juntamente com o apoio dos parceiros e a articulação com a administração municipal, é atender às demandas de diversos atores sociais, buscando a “ampliação da transversalidade e da intersetorialidade nas ações do Estado, além da garantia de sua interiorização”.

De acordo com a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Ana Clara Moreira, oferecer diversos serviços à comunidade só foi possível com um trabalho em conjunto e comprometido entre o Governo do Estado e a prefeitura de Paulo Afonso. Outros serviços com muita procura foram negociação de pagamento no posto de atendimento da CoelbaMóvel; informações de acesso às políticas públicas de assistências social, no estande do Centro de Referência de Assistência Social (Cras); atendimento jurídico nos estandes do Ministério Público, Defensoria Pública da Bahia e Defensória Pública da União, além das palestras com a comunidade sobre educação no trânsito ministrada pela Polícia Rodoviária Federal. Mais detalhes sobre a ação estão disponíveis no site da SJDHDS.

Fonte: Ascom/Secretaria de Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do Estado (SJDHDS)