A Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM) concluiu a análise dos dados e disponibilizou os produtos do levantamento aerogeofísico do Extremo Oeste do estado, alcançando 23 municípios inseridos na região. Com isso, o estado passa a ter 100% da área do seu território coberta por meio de levantamento aerogeofísico de alta resolução. Com o programa, a Bahia dá mais um passo para se firmar entre os maiores produtores de minérios do país, ao lado de Minas Gerais, Pará, Goiás e São Paulo.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda, a medida é mais uma iniciativa do governo estadual destinada a atrair novos investimentos para o setor. “A Bahia é hoje um dos estados mais bem estudados geologicamente do país, com todo o seu território mapeado”, revela o secretário.

O levantamento cobriu uma área de quase 50 mil quilômetros quadrados, correspondente a cerca de 103 mil quilômetros lineares de voo. “Foi utilizado um multisistema aerogeofísico, configurado pelos métodos magnético e gamaespectrométrico”, explica o diretor da CBPM, Rafael Avena Neto.

Para ter acesso aos dados, os interessados deverão acessar o site da CBPM (na página Geofísica na CBPM), onde estão todas as especificações referentes ao levantamento, tabela de preços e os procedimentos necessários para aquisição do material de interesse.

Novas jazidas

De acordo com Avena, o trabalho dá continuidade à política de geração e disponibilização de informações da CBPM, possibilitando ao setor privado acesso a um grande volume de informações, que mostram oportunidades em busca da descoberta de novas jazidas minerais.

“A CBPM acredita que os resultados a serem atingidos permitirão ampliar significativamente a participação do setor mineral na economia baiana, levando progresso para regiões onde outros segmentos teriam dificuldade para implantação”, diz Avena.

Paralelamente, além da disponibilização do estudo, a CBPM está promovendo a redução dos preços de todos os produtos oriundos dos 37 levantamentos aerogeofísicos já realizados pela empresa no estado, buscando contribuir para facilitar a atração de novos investimentos no setor de mineração.

Fonte: Ascom/SDE