A Casa Branca do Engenho Velho, considerada a primeira casa de candomblé da Nação Ketu no Brasil, prepara-se para viver mais uma data festiva. Neste sábado (24), das 9 às 18h, será realizado o lançamento do projeto ‘Asó Orisa – Roupas de Santo e outras produções culturais’, que recebeu do Governo do Estado recursos no valor de R$ 171mil, resultado do Edital 001/2014 de Economia Solidária de Matriz Africana.

No evento, a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) entrega totalmente reformado o Espaço Cultural Vovó Conceição, onde são realizadas atividades como corte/costura e bordado de matriz africana. Os investimentos constaram também da construção de uma vitrine integrada ao terreiro para alavancar as vendas dos produtos, aproveitando o grande fluxo de pessoas ao local.

No Espaço, os filhos e filhas de santo preservam a memória e o acervo dos bens históricos, artísticos e socioculturais, acumulado no universo da cultura da religião de matriz africana. Sob os cuidados da Sociedade São Jorge do Engenho Velho ou Ilê Axé Iyá Nassô Oká, o local vem se tornando nos últimos anos uma referência na recuperação da cultura de matriz africana entre outras comunidades, especialmente pelas ações com crianças e adolescentes a partir das oficinas temáticas e atividades lúdico-tradicionais, como capoeira, toque de atabaques e o simples contar de histórias.

O Edital 001/2014 de Matriz Africana já disponibilizou um valor global de quase R$ 9 milhões para atender 34 instituições que atuam sem fins lucrativos na Bahia. “Este é o maior edital do gênero já firmado por um ente público no Brasil e somente no seu lançamento chegamos a receber 80 propostas”, afirma o secretário Álvaro Gomes, salientando que a reforma no Casa Branca foi fundamental “para enfrentar a deterioração do imóvel, deter as infiltrações e umidades e adequar o Espsço às atividades de geração de emprego e renda”.

Ascom/Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre)