Após auditoria realizada por fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Bahia mantém a permanência no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA), um dos mais consistentes no Brasil. Através da Agência de Defesa Agropecuária (Adab), vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), a Bahia confirma mais uma vez a equivalência do Serviço de Inspeção Estadual ao federal, comprovando que tem condições de avaliar a qualidade dos produtos de origem animal.

De acordo com a Adab, o governo federal criou o Sisbi-POA, parte integrante do Sistema Unificado de Atenção Agropecuária (Suasa), para possibilitar o comércio dos produtos para outros estados. “A manutenção do Sisbi favorece o crescimento da economia, através da ampliação do comércio interestadual de produtos de origem animal”, afirma o secretário da Agricultura, Vitor Bonfim. Segundo ele, “além de ser fundamental para valorizar os produtores rurais da Bahia, é uma ferramenta que proporciona maior geração de emprego e renda, e estimula a competitividade da produção [devido] ao valor agregado dos produtos”.

Comércio interestadual

Para o diretor-geral da Adab, Marco Vargas, a manutenção do Sisbi-POA na Bahia é muito importante. Ele explica que, além de ser um incentivo para o estado, possibilita a expansão da economia, ampliando o comércio interestadual de produtos de origem animal nas diversas escalas de produção. Mesmo com o bom desempenho do serviço, os auditores dizem que há inconformidades a serem corrigidas. “Mas foi possível constatar a implantação do Programa de Autocontrole, registros, coletas e amostras”, constataram os auditores Fernando Fagundes Fernandes e Fernanda Mallet Soares Souza.

A responsável pela Divisão de Auditorias Regionais do Mapa, Ana Letícia de Carvalho Silva, veio à Bahia acompanhar todo o processo de auditoria – o estado foi indicado por dispor de um dos mais estruturados serviços do Brasil, sendo referencia na implantação do Sisbi-POA. A Bahia se destacou entre os primeiros a aderirem ao sistema, em 2010, juntamente com Minas Gerais e Paraná.

Adequação às normas sanitárias

“O objetivo do Sisbi é fortalecer o Serviço de Inspeção Estadual (SIE), mas as indústrias precisam se adequar às normas sanitárias e aos programas de autocontrole Boas Práticas de Fabricação (BPF) e Procedimentos Padrões de Higiene Operacional (PPHO). O sistema possibilita o conhecimento das informações estatísticas e nosográficas (dados de doenças e enfermidades) importantes para planejar ações de saúde pública e fomentar políticas públicas”, explica o chefe do Serviço de Inspeção da Superintendência Federal no Mapa na Bahia, Altair Santana de Oliveira, auditor, na ocasião. Segundo ele, o sistema veio como oportunidade de solucionar uma carência na Lei nº 7.889/1989, como elo entre os serviços de Inspeção Federal, Estadual e Municipal.

O diretor de Inspeção de Produtos de Origem Agropecuária da Adab, Willadesmon Silva, enfatizou o trabalho dos servidores durante a auditoria. Segundo ele, como a adesão é voluntária por parte das empresas, “continuamos com o grande desafio de ampliar o número de agroindústrias com Sisbi-POA, promovendo também a inclusão das agroindústrias da agricultura familiar”.

Fonte: Ascom/Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab)