Mil e setenta crianças e adolescentes de Salvador são transformados todos os dias por meio do esporte. Participantes do projeto Ação Tri – Triatleta Cidadão, eles aprendem natação, atletismo e ciclismo no turno oposto à escola. Idealizado pelo educador físico Manoel Alberto Lopes, o Beto, o projeto visa educar e inserir jovens na sociedade, com a ajuda do triatlo.

“Antigamente, para entrar, a pessoa tinha que ter aptidão física. A gente tirou isso e passou a cobrar apenas que a criança estivesse devidamente matriculada e com sua cartela de vacinação em dia. Essas crianças que têm essa frequência ainda recebem cesta básica no fim do mês”, conta Beto Lopes.

O Ação Tri – Triatleta Cidadão ajuda a combater o tempo ocioso e estimula o protagonismo juvenil. “Acordo quatro e meia da manhã e vou pedalar. Depois, saio, vou treinar no Porto [da Barra] e volto. Quando chego em casa, tomo banho e vou para o colégio”, revela Wadson Silva de Souza, estudante e triatleta.

Educador físico de formação, Josean Francisco Santos, o Jô, começou na natação ainda criança. Foi por meio das braçadas que ele aproveitou a oportunidade de mudança de vida e hoje é professor do Ação Tri – Triatleta Cidadão. “É gratificante ser uma referência para as crianças e mostrar para elas que todos podem sair de um bairro simples e fazer uma faculdade”, enfatiza Jô.

O projeto  Ação Tri – Triatleta Cidadão é tema de uma série de vídeos produzidos pela Secretaria de Comunicação Social do Estado (Secom) sobre histórias e personagens que mostram o poder da transformação pela educação.