A integração família-escola é uma realidade cada vez mais presente nas escolas estaduais, onde mães, pais, avós e responsáveis são motivamos a participarem, cada vez mais, da vida escolar dos estudantes. E foi com este objetivo que o Colégio Estadual Edivaldo Boaventura, no bairro do Stiep, em Salvador, promoveu uma atividade em parceria com a Polícia Militar nesta terça-feira (24). A iniciativa é uma das propostas reforçadas pelo programa Educar para Transformar e que contribuem para a melhoria da relação dos filhos e netos em casa e no convívio escolar.

O subtenente Lima Júnior, da 16ª Companhia Independente da PM (CIPM), ministrou palestra sobre o tema ‘Os filhos são o espelho dos pais’. De acordo ele, os pais devem estabelecer uma relação de confiança e diálogo com seus filhos. “Eduquem sem agressão, acompanhem o dia a dia dos seus filhos com mais atenção, dediquem pelo menos uma hora por dia para conversar, observem as amizades, identifiquem as mudanças físicas e comportamentais, incentive-os a praticarem algum esporte. Mostre a seu filho que é mais importante ‘ser’ do que ‘ter’ e estabeleça limites”, orientou o subtenente.

Jucelia Santos da Silva, avó das gêmeas Beatriz e Bianca dos Santos, do 6° ano, ouviu atentamente as instruções. “Faço questão de acompanhar a vida escolar das minhas netas e sempre venho às reuniões para saber como elas estão se saindo na escola, o comportamento na sala de aula e aproveito também para conversar com a diretora e professores”, afirmou.

As gêmeas adoram a atenção e o cuidado da vovó. “Gosto muito que ela participe das reuniões porque fica sabendo tudo o que está acontecendo com a gente na escola”, disse Bianca. Beatriz completa que “ela nos dá conselhos e pergunta o que estamos aprendo na escola e isso é muito bom”.

Acompanhamento

Quem também não deixa de frequentar a unidade escolar é Josefa Santos Souza, mãe de Mateus Cazimba, aluno do 6° ano. “Venho até mesmo quando não tem reunião porque acho que nosso acompanhamento deve ser diário, dentro e fora da escola”, comenta. Já Antônio José da Rocha, pai de Stefane Soares Rocha, também do 6º ano, destaca que “o diálogo é a melhor forma de se aproximar dos filhos porque eles ficam mais a vontade para desabafar e falar de questões ligadas ao colégio. Por isso, procuro sempre conversar com minha filha e dou conselhos”.

A diretora do colégio, Rogéria Martins, reforça a importância da aproximação da família da escola. “Essa iniciativa é imprescindível porque nós necessitamos da parceria com os pais para obtermos o sucesso pedagógico na formação do cidadão, pois, a escola complementa a educação que também é dever da família".

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado