A luta contra o mosquito Aedes aegypti é permanente nas escolas estaduais. Por meio de diferentes ações pedagógicas, os estudantes alertam a comunidade local sobre como prevenir e combater o mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya. Motivados pela campanha desencadeada pela Secretaria da Educação do Estado, os colégios estaduais Professora Luzia de Freitas e Silva, no município de Campo Formoso, de Junco, em Jacobina (centro norte), Wilson Wilson Lins, em Valente, e Democrático Líbia Tinoco Melo, em Teofilândia (nordeste), também vêm realizando atividades educativas no espaço escolar e na comunidade.

No Colégio Estadual Professora Luzia de Freitas e Silva, os alunos confeccionaram cartazes, panfletos e banners informativos para distribuição nas escolas, postos de saúde, comércios e praças da cidade e de mais sete localidades circunvizinhas. A ação interdisciplinar reúne os professores de Matemática, Redação e Língua Portuguesa, que acompanham os estudantes no trabalho de produção dos textos, na produção da arte dos materiais impressos e na distribuição.

Os estudantes também produziram cartilhas, fizeram roda de leitura em creches e apresentações para levar informações de forma lúdica. “A recepção das crianças foi ótima. Eles prestaram bastante atenção e interagiram com a gente. Acredito que vão levar o que aprenderam para casa. As crianças têm capacidade de influenciar ao falarem aquilo que aprenderam”, disse Elvis Gama de Souza, 16 anos.

De acordo com a aluna Alessandra Bernardino, 16, a campanha também foi motivada pelo número de casos de zica, chikungunya e dengue, além de microcefalia. “Ficamos preocupados e, por isso, nos empenhamos”. O estudante, Márcio Venícius da Silva, 16, disse que na sua família teve casos de zika. “Aproveitei para levar informações do que aprendemos para eles”. Thaísa Costa, 16, alertou para a prevenção do mosquito. “São doenças sérias e as pessoas precisam estar bem informadas”.

No Colégio Estadual de Junco, no distrito de Junco, os estudantes utilizaram cartazes, panfletos e coreografias para atrair a atenção da população sobre o mosquito. “As pessoas estão informadas, mas acredito que nosso trabalho surte efeito porque reforça e internaliza nas pessoas as informações que já têm”, afirmou gestora da unidade, Ana Lúcia Teixeira.

ProEMI

Com o Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI), que tem o objetivo de fortalecer o desenvolvimento de propostas curriculares inovadoras, os estudantes do Colégio Estadual Wilson Lins aproveitaram as oficinas de Iniciação Científica para realizar diversas atividades com a temática de combate ao mosquito e prevenção das doenças. Com a ajuda da Secretaria Municipal de Saúde, elaboraram armadilhas e repelentes, que foram distribuídos para os moradores e nos comércios da cidade.

A campanha também fez parte da programação de aniversário da unidade escolar, que completou 68 anos de fundação no mês de abril. Segundo o diretor Adaltro José Araújo, foi realizada uma passeata pelas ruas com cartazes como parte da programação do aniversário da escola. “Acredito que as nossas ações repercutem na cidade pela importância do colégio, o primeiro do município e pelos projetos desenvolvidos na área de ciência”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado da Bahia