A Horta do Fabinho, que fica no bairro Paxola, no município de Morro do Chapéu, a 384 quilômetros de Salvador, não é mais a mesma desde que passou a ter intervenções dos estudantes dos cursos técnicos em Agroecologia e Agropecuária do Centro Estadual de Estadual de Educação Profissional Jubilino Cunegundes (Ceep). A partir dos conhecimentos adquiridos em sala de aula sobre produção orgânica, os estudantes conciliaram teoria e prática e conseguiram ampliar a produção da horta, onde são cultivados coentro, alface, rúcula, cebolinha, brócolis, espinafre, hortelã e couve.

Na horta, os estudantes ficam responsáveis pelo plantio, pela manutenção e pela colheita. Eles utilizam técnicas de adubação orgânica, como compostagem, biofertilizantes e usam defensivos naturais. “Estes defensivos são produzidos de forma a melhorar a autonomia do agricultor, pois diminuem a dependência do mesmo em relação aos adubos externos. Afinal, as pessoas estão em busca de alimentos benéficos para a saúde”, explicou a professora de Agricultura Geral, Janaína Duarte.

Ao todo, 27 estudantes estagiam na horta e destacam a importância desta experiência. “A produção orgânica, além de ser boa para a saúde, não degrada o solo”, ressaltou a estudante do 4º ano do curso técnico em Agroecologia, Daniela Brito, 18 anos. Para Thaíla Trindade, 18, do 4º ano do curso técnico Agroecologia, “o mais importante é a conservação do meio ambiente. É gratificante para nós sabermos que as pessoas estão tendo qualidade de vida”.

A experiência na horta do bairro Paxola serve de base para a implantação de outra horta dentro do Ceep. “A horta do Ceep ainda é pequena, por isso não tem como abarcar todos os estudantes no período de estágio. Nossa intenção é que estes estudantes adquiram o conhecimento prático sobre produção orgânica para que possamos investir e ampliar a horta da unidade”, informou a vice-diretora do mundo do trabalho do Ceep, Maria Celestina da Rocha.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado da Bahia