Promover o protagonismo juvenil por meio da preparação para o mundo do trabalho no mercado do audiovisual. Este é o propósito do projeto Rede TV Jovem que certifica 400 alunos em Salvador e dois municípios do interior em maio. Na cidade de Senhor do Bonfim, no centro norte da Bahia, 100 jovens do Núcleo TV Vila Nova da Rainha receberam os certificados de conclusão do curso na segunda-feira (2). Nesta terça (3), às 17h, acontece na capital baiana certificação de 200 alunos em cerimônia no Palácio Rio Branco, situado na Praça Thomé de Sousa. Completam o número os 100 alunos que o Núcleo de Irecê, no centro norte, certifica no dia 17 de maio em horário a ser divulgado.

Em Senhor do Bonfim, os jovens concluíram a qualificação profissional nas áreas de Produção, Edição e Operação de Câmera. O titular da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Geraldo Reis, esteve presente na cerimônia, acompanhado da superintendente de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos, Anhamona de Brito, e do ex-secretário de Desenvolvimento Social do Estado, Carlos Brasileiro.

Resultado da parceria entre a SJDHDS e a organização não governamental ‘Ação Pela Cidadania’, os cursos tiveram duração de 20 meses beneficiando jovens com idade de 16 a 24 anos. “Não temos a ilusão de que […] enquanto vocês frequentavam esse curso, seguramente o pai e a mãe de vocês dormiram mais tranquilos, certos de que seus filhos estavam procurando um lugar ao sol pelo caminho do trabalho, do estudo, da dedicação, da disciplina, interagindo com outros jovens como vocês”.

O secretário citou a importância dos jovens estarem “crescendo nas diferenças, adquirindo uma nova bagagem de conhecimento teórico, técnico, intelectual”. Ele disse que “a técnica por si só não melhora os corações dos homens e das mulheres, por isso os valores éticos e a cidadania são parte importante deste curso”.

O projeto beneficia jovens oriundos de famílias com renda mensal per capita de até meio salário-mínimo, matriculados em escola pública, no ensino fundamental ou médio e que não estejam fazendo estágio regular, nem tenham emprego – mesmo informal – nem estejam participando de outro programa governamental para a juventude que concede auxílio financeiro. A oradora da turma, Liane Moura, agradeceu em nome dos formandos pela oportunidade de participar do projeto e incentivou os colegas a continuarem investindo na sua formação.

Fonte: Ascom/Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS)