Ciente de que o voto, além de obrigatório, é um direito do cidadão, a Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac), vinculada à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), encaminhou mais de 100 adolescentes, entre 16 e 18 anos incompletos, para solicitar a emissão da primeira via do título de eleitor. Todos já estão com o documento em mãos

A ação acontece há vários anos e para um dos socioeducandos, 17, é importante poder escolher, já no próximo dia 2 de outubro, o prefeito e os vereadores das cidades. “Gostaria de encontrar um candidato que pudesse melhorar aquilo que a gente mais precisa na cidade, como mais postos de saúde e combate às doenças”.

Segundo Sálvio Mascarenhas, coordenador da seção eleitoral, durante a emissão do título é escolhida uma secção eleitoral próxima da Comunidade de Atendimento Socioeducativo (Case), onde o educando cumpre a medida socioeducativa. “O TRE [Tribunal Regional Eleitoral da Bahia]instala uma seção eleitoral especial na unidade e aqueles que ainda estiverem cumprindo medidas, assim como os funcionários de plantão na unidade, podem votar tranquilamente”. Segundo Mascarenhas, “aqueles que não estiverem mais sob o regime da medida socioeducativa, votam nas seções definidas durante a solicitação do título eleitoral”.

Fonte: Ascom/Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac)