Primeira instituição pública de ensino da dança no norte-nordeste do país, a Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), localizada no Pelourinho, em Salvador, tem sido a porta de entrada de muitos baianos no universo da arte. Inah Ierenan foi uma das jovens beneficiadas na unidade. “Conciliava a faculdade de enfermagem com as aulas de dança, mas em 2010 quebrei o pé, passei seis meses parada e senti muita falta da escola. Foi assim que resolvi trancar o curso e mergulhar de vez na dança profissional”, conta Inah, que hoje é coreógrafa e professora de dança.

A instituição contribuiu também para que Bruno de Jesus, hoje bailarino e coreógrafo, se descobrisse no mundo sensível e livre da arte. “Sempre quis ser o Jacaré do Tchan na escola e sempre fui, mas tinha problemas de aceitação. Achava que todos eram melhores que eu, mas quando eu passei, vibrei por ter conseguido entrar na escola de dança”, revela.

A Escola de Dança da Funceb atualmente conta com 1.200 alunos, a maioria afrodescendentes, oriundos de bairros populares. Pela manhã é ofertado o curso profissional, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC); à tarde, crianças de 5 a 17 anos participam do curso preparatório; e à noite a comunidade é beneficiada e introduzida a diversas atividades culturais por meio de cursos livres.

As histórias dos jovens Inah e Bruno, e a importância da Escola de Dança na formação de milhares de baianos fazem parte da primeira edição da série Nossa Cultura, com vídeos produzidos pela Secretaria de Comunicação Social do Governo do Estado (Secom) sobre a pluralidade da cultura da Bahia.