O jornalista Zezão Castro lança seu documentário ‘Mandioca – Raiz Brasileira’, nesta quinta-feira (12), às 19h, na sala Walter da Silveira. Trata-se do filme de estreia do autor, realizado por meio do Edital de Demanda Espontânea, do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA), mecanismo de fomento à cultura, administrado pelas secretarias estaduais de Cultura (Secult) e da Fazenda (Sefaz). Nos 52 minutos de duração do filme, ele faz uma dobradinha entre música e agricultura e expõe os diferentes usos da mandioca e de seus derivados em 12 cidades da Bahia, indo da caatinga à mata atlântica, passando pelo Recôncavo e pela capital.

A parte musical divide-se entre os cânticos de raspadeiras de mandioca e de mutirão de plantio, além da presença da mandioca na música popular brasileira, notavelmente na canção ‘A Massa’, eternizada por Raimundo Sodré. Na avaliação do diretor, “foi uma grata surpresa descobrir a cultura e o manejo da agricultura que envolve a mandioca, inclusive como comida para orixás, e também ver de perto a sua importância na dieta do povo nordestino e como inspiração musical”.

Há no filme também um cordel animado pelo desenhista Augusto Matos, com a participação de Jackson Costa, Mateus Aleluia e Luz Brasil. Além disso, existem imagens do grupo Farinhada de São Nicolau, de Santa Bárbara, passando pela giroba, bebida sagrada ingerida pelos tupinambás de Ilhéus [no sul do estado], chegando até Piritiba [no centro norte], onde as canções de raspadeira integram uma tradição antiga no povoado de Lagoa da Onça. O filme é, literalmente, um passeio pela raiz que, em boa parte, se confunde com a própria identidade nacional.

Fundo de Cultura

Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artísticas e culturais baianas, o Fundo de Cultura da Bahia (FCBA) custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. São financiados, preferencialmente, aqueles que, apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

O FCBA está estruturado em quatro linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação – Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Mais informações estão disponíveis no site da Secult.

Fonte: Ascom/Secretaria de Cultura do Estado (Secult)