Ao som de música clássica, mulheres da comunidade da Baixa da Soronha, em Itapuã, na capital baiana, participaram de uma homenagem ao Dia das Mães, celebrado no último domingo (8). Mães e filhos assistiram a apresentação da Camerata Bahia Cordas, da Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba), na tarde desta terça-feira (10), na sede da escola Malê Debalê. A iniciativa é resultado de parceria da Osba com as Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA), com apoio da Associação de Moradores da Baixa da Soronha.

Em meio à curiosidade por ver de perto esse tipo de apresentação, o público reconheceu algumas canções e ainda acompanhou, cantando, cantigas de roda conhecidas por adultos e crianças. Essa foi a primeira vez em que muitos estiveram próximos a instrumentos vistos apenas em filmes e fotos, como a vendedora Flávia Santos, que foi acompanhada da filha Kaylane Santos, de 11 anos. “Eu só tinha escutado música assim pela televisão e fiquei encantada. Achei muito diferente ver ao vivo, pessoalmente. Gostei muito e em homenagem ao Dia das Mães é melhor ainda”, afirmou a vendedora.

De acordo com a assistente social das VSBA, Ana Cláudia Bonifácio, há cerca de dez anos, as Voluntárias têm promovido ações para levar arte, cultura e lazer para as comunidades. “No ano passado, estivemos nessa mesma escola com o projeto Pílulas Dançadas, do Balé do Teatro Castro Alves, e agora voltamos aqui com a camerata, iniciativa que já ajudamos a levar para outros lugares de Salvador também. É muito bom perceber o quanto as comunidades recebem bem e nos apoiam nessas ações, comparecem e gostam muito”.

Ocupação de espaços

Entre uma canção e outra, os músicos esclareceram curiosidades da plateia sobre os instrumentos, mostrando a diferença entre eles, e explicaram sobre os compositores clássicos que estavam interpretando. Segundo a coordenadora do projeto de cameratas da Osba, Fátima Guimarães, o objetivo dessa iniciativa é aproximar o público da música clássica e erudita e acabar com alguns estereótipos.

“Queremos desmitificar qualquer ideia de que a orquestra é para ficar restrita aos teatros e para um tipo específico de público. Entendemos que a música é mágica, agrega todo tipo de público e é para todos, para ocupar todos os espaços. Para mães, mas principalmente para as crianças, essas oportunidades são muito enriquecedoras”, explicou Fátima.

A apresentação desta terça (10) é parte de uma série de visitas das cameratas Bahia Cordas, Quarteto Novo, Opus Lumen e Quadro Solar a diversos locais da capital baiana durante todo o mês de maio. A programação completa, com horários e locais dos pequenos concertos, está disponível no site do Teatro Castro Alves (TCA).

Repórter: Anna Larissa Falcão