Com foco na interatividade, transparência e inovação, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), lançou nesta segunda-feira (9) o Observatório Fapesb. A ferramenta disponibiliza os dados da instituição referentes às bolsas de Iniciação Científica, Mestrado, Mestrado Profissional e Doutorado, no período de 2012 a 2015, pela internet.

A estratégia adotada tem como proposta dar visibilidade para as informações sobre o apoio concedido pela Fapesb ao longo dos anos. Utilizando a tecnologia Java (springboot) e Angular, com o conceito (que se adapta a qualquer tamanho de tela), o Observatório apresenta gráficos dinâmicos e indicadores atualizados para os usuários, dando a possibilidade de acessar informações, referentes à quantidade de bolsistas e ao valor investido, segmentadas por sexo, faixa etária, status jurídico, modalidade, grande área e ano. Além disso, o gráfico dinâmico oferece a personalização e cruzamento de dados, via escolhas das métricas disponibilizadas.

Ao explicar a importância da iniciativa pioneira no contexto das FAPs do Brasil, o diretor presidente da Fapesb, Eduardo Almeida, diz que “o objetivo é modernizar a gestão, com maior transparência sobre investimentos e evolução no número de bolsas concedidas. Desse modo, a Fundação avança no acompanhamento e monitoramento de ações e programas. Essa é a primeira etapa do nosso Observatório, outras duas etapas estão sendo projetadas para apresentar, com uma série de indicadores, como os recursos da Fapesb estão sendo investidos em projetos de pesquisa e inovação”.

De acordo com a coordenadora do Programa de Bolsas (Progbol) da Fapesb, Gecynalda Gomes, “além do Observatório apresentar os quantitativos em relação às concessões de bolsas, é possível traçar um perfil demográfico dos bolsistas Fapesb. Existem plataformas semelhantes, como as do CNPq [Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico], Capes [Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior] e Aquarius. Porém, o Observatório da Fapesb conta com formato e disposição pioneiros, principalmente para dispositivos móveis, devido ao conceito de responsividade utilizado”. Mais informações estão disponíveis no site do Observatório.

Fonte: Ascom/Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb)