Depois de seis meses de capacitação, o momento tão esperado. Trinta jovens de Cajazeiras VIII, em Salvador, na faixa etária entre 16 e 29 anos, receberam os certificados de conclusão do curso profissionalizante de beleza, realizado por meio do Programa Trilha, do Governo do Estado. Técnicas de maquiagem, manicure e cabeleireiro, além de disciplinas básicas, como português e matemática, muniram os participantes de conhecimento teórico e prático.

A cerimônia de entrega dos diplomas aconteceu na tarde desta quinta-feira (19), na Associação PDA. “Acompanhei cada momento de cada um desses profissionais durante o curso. Passei o conhecimento básico para que eles sigam em direção às oportunidades. Tenho certeza que estão prontos para trabalhar em qualquer empresa ou até mesmo abrir o próprio negócio”, ressalta a professora Cristiane de Oliveira.

A capacitação é resultado de um convênio entre a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e o Instituto de Ensino Afonso Linhares Prado (Sealp), executor do projeto. Para Luana Magalhães Neves, que já tem experiência como manicure, o certificado vai ampliar as chances de sucesso na área. “Trabalho já há muito tempo como manicure a domicílio, mas não conseguia trabalhar em um bom salão de beleza justamente porque não tinha certificado que comprovasse minha competência. Agora vou ter mais oportunidades no mercado de trabalho”. 

Mudança de vida

O curso, destinado a pessoas em situação de vulnerabilidade social, é realizado em todo o estado e, em sua maioria, tem mulheres como participantes. Porém, mesmo em um segmento dominado pelo público feminino, o jovem Marcos Praxedes quer seguir o próprio caminho. “Descobri que adoro fazer maquiagem maquiando minhas primas e tias. Acho que levo jeito. Ter feito esse curso foi o primeiro passo para a realização do meu sonho e acabar com o preconceito de que a área da beleza é apenas para mulheres”, afirma Marcos.

O conhecimento passado representa oportunidade de mudança de vida. Para Beatriz de Souza Barros, 16 anos, saber maquiar, pintar unhas e cortar cabelos pode ser a ferramenta que faltava para alcançar outros objetivos. “Quero muito fazer a faculdade de Direito e vejo que agora posso trabalhar para bancar o meu sonho. Isso é maravilhoso para quem sonha alto como eu”, destaca a garota.

Intermediação

Para os participantes de cada curso, a chance de encontrar o emprego ideal fica maior. Por meio do Serviço de Intermediação de Mão de Obra (SineBahia), os profissionais são cadastrados no banco de currículos e encaminhados para as vagas que surgem a depender dos requisitos necessários. “O SineBahia apoia no sentido de direcionar. Ele tem a responsabilidade de encaminhar cada profissional para a oportunidade adequada às exigências da empresa e suas qualificações”, explica a assistente técnica da Setre, Romilda Lins.

Instituído em 2008, o Programa Trilha atendeu mais de mil jovens carentes somente no ano passado. A iniciativa não proporciona apenas conteúdo técnico, apresentando também assuntos diversos, como legislação trabalhista e dicas de comportamento em ambiente de trabalho.


Repórter: Leonardo Martins