O período de visitação aos itens que integram o primeiro leilão de bens móveis do Estado em 2016 começa na próxima segunda-feira (9). Ao todo, serão alienados 232 lotes, entre veículos e sucatas de automóveis, sucata ferrosa, peças de embarcações marítimas, materiais hospitalares, eletrônicos e de informática, além de móveis diversos. Os itens estarão disponíveis para avaliação dos proponentes até o dia 12, véspera do leilão, que será realizado no Real Classic Bahia Hotel, situado na Rua Fernando Menezes de Góes, 165, no bairro da Pituba, em Salvador, às 9h.

De acordo com a Secretaria da Administração (Saeb), que promove o evento, a expectativa é de que sejam arrecadados quase R$ 1 milhão, a ser revertido para a conta única do Tesouro Estadual. O maior número de itens a serem leiloados é o de carros, totalizando 168 unidades, avaliados conjuntamente em mais de R$ 900 mil. O lote mais caro é um Ford F1200, avaliado em R$ 15 mil, alocado no Almoxarifado Central do Estado.

São sete locais de visitação, distribuídos entre três cidades: Salvador, Feira de Santana e Ribeira do Pombal. Na capital, os lotes poderão ser avaliados no Almoxarifado Central do Estado, na Rua Carlos Brandão da Silva, em Mata Escura, e na Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), na 4ª Avenida do CAB; na Agerba, localizada na Avenida Oscar Pontes, 1051, Água de Meninos; e na Bahiatursa, no Centro de Convenções da Bahia, bairro de Armação.

No interior, serão três locais de visitação: nos galpões da Ebda, em Ribeira do Pombal, localizado na Estrada da Mirandela, KM 0,5, e em Feira de Santana, na Rua Senador Quintino, 523, Olhos d’Água. Ainda em Feira de Santana, os itens poderão ser avaliados na Residência de Manutenção do Derba, na BR-116 Norte. Em todos os casos, o horário de visitação é das 7h às 17h. Mais informações podem ser obtidas nos sites Compras.net e Vip Leilões ou pelo telefone (71) 3602-1128/9272.

Leilões do Estado

Os leilões estaduais integram as ações para a qualificação do gasto público com o objetivo de combater o desperdício na máquina estadual, investindo os valores economizados no reaparelhamento da estrutura administrativa. A receita obtida com a venda dos bens irá para a conta única do Tesouro Estadual.

Cabe à Saeb alienar os bens desativados do Estado, conforme artigo 7º do Decreto nº 9.461 de 20 de junho de 2005 – embora unidades da administração indireta também possam realizar leilões. Os bens são considerados inservíveis quando o custo de manutenção é mais caro para o Estado do que investir na compra de um novo bem.

Fonte: Ascom/Saeb