Durante as comemorações do aniversário de 155 anos da cidade de Condeúba, na sexta-feira (13), o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), realizou a entrega de 833 tecnologias sociais de acesso à água, sendo 703 cisternas de consumo humano e 130 estruturas hídricas para produção, como barreiro trincheira familiar, barreiro trincheira comunitário, cisterna para produção e limpeza de aguadas.

A implantação das tecnologias sociais de captação de água para consumo humano e produção é resultado da parceria entre a SJDHDS, a Associação de Agricultores Familiares Camponeses da Bahia (Asfab) e a Associação Divina Providência de Amparo Social Cristão. Na ocasião, secretário de Justiça, Geraldo Reis, anunciou que o município atingirá a meta de universalização de acesso à água de consumo.

“Com a implantação de mais 235 cisternas de consumo, por meio de uma parceria já garantida com o Ministério de Desenvolvimento Social, e uma contrapartida da administração municipal para a construção de 65 cisternas pela prefeitura, conseguiremos atingir a meta de universalizar o acesso à agua aqui em Condeúba, uma grande conquista e melhoria da qualidade de vida para as famílias que convivem com o semiárido e a seca”, afirmou. Geraldo Reis acrescentou que os investimentos realizados e a realizar somam recursos na ordem de R$ 3 milhões.

Qualidade de vida

Uma das beneficiárias do programa social de acesso à água é a aposentada Carolina Rose Pereira, do distrito de Morrinho das Farias. Ela ressaltou a importância da cisterna para a melhoria da qualidade de vida das famílias da zona rural. "A água que bebíamos aqui era de poço, salobra, o que deixava a gente doente. Agora não, com a água boa da cisterna, lá em casa todo mundo está saudável", comemorou.

As famílias contempladas com o projeto de cisternas de placas foram capacitadas pela Asfab com o curso de Gerenciamento de Recursos Hídricos, com orientações de como cuidar da cisterna e o trabalho de captação da água com o uso da tecnologia, além de outras aprendizagens do campo.

A família de dona Ana Maria dos Santos, do distrito de Riacho Seco, também comemorou a entrega da cisterna. Ela explicou quais cuidados aprendeu que deve ter para preservar o equipamento e a qualidade da água. “Devemos manter a cisterna sempre limpa e tampada, só retirar a água com a bomba, e usar a água somente para beber e cozinhar”.

Fonte: Ascom/SJDHDS