Uma boa notícia para pais ou responsáveis por crianças, adolescentes e jovens com deficiência e que estão em busca de uma atividade física gratuita para eles: o Projeto Habilitação Esportiva Inclusiva ainda tem vagas para duas modalidades esportivas: bocha e futebol de 7. O projeto alia práticas esportivas e educação e atende moradores de diversos bairros soteropolitanos e até da Região Metropolitana.
Com apoio financeiro e supervisão do Governo do Estado, por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia vinculada à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), o projeto está quase há dois meses em execução, com aulas nas modalidades de natação, basquete, futebol de 7, capoeira, karatê, tênis, ginástica e bocha. As atividades acontecem duas vezes por semana, nas instalações do Instituto Pestalozzi, na Ribeira, e no Instituto Baiano de Reabilitação (IBR), em Ondina.
Podem ser inscritas pessoas com deficiência física e/ou intelectual, a partir de seis anos. As aulas de bocha e de futebol acontecem às terças e quintas-feiras, pela manhã, no IBR, e os interessados devem se dirigir ao Instituto, munidos de atestado médico (liberando para a prática de atividade física), RG, CPF, comprovante de residência e duas fotos 3×4. As matrículas são realizadas de segunda a sexta-feira, de 8h às 11h30 e de 14h às 17h.
De acordo o coordenador do projeto, Danilo Haun, embora as vagas das demais modalidades tenham sido preenchidas, quem tiver interesse pode se inscrever para o cadastro de reserva. Vale ressaltar que as atividades são organizadas e executadas por profissionais que já possuem experiência no ensino profissional de jovens com alguma deficiência.
Moradora do bairro de Sussuarana, a dona de casa Estela Marinho criou uma rotina para levar o filho ao IBR para as aulas no projeto. Com paralisia braquial obstétrica no braço direito, Gabriel Marinho, hoje com 11 anos, praticamente saiu da maternidade para a reabilitação. “Depois de anos fazendo fisioterapia, assim que ele teve alta, a fisioterapeuta indicou a natação. Agora ele está se arriscando no futebol. É bom que gasta energia”, conta Estela, citando que o local acaba funcionando como uma segunda casa para o menino.

Pacto pela Vida
O “Habilitação Esportiva Inclusiva” tem vigência de 12 meses, podendo ser prorrogado por igual período. Ele também atende às políticas do programa Pacto pela Vida, uma ação de Governo que tem por objetivo principal a promoção da paz social. Para implementar sua execução, a Sudesb conta com recursos próprios e também da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), além de aporte financeiro do Fundo de Combate à Pobreza (Funcep).
Mais informações por meio do número: (71) 3504-5900.
Fonte: Ascom/Sudesb