Organizações da sociedade civil ligadas à imprensa e à comunidade acadêmica têm prazo até o dia 4 de abril próximo para indicar representantes ao Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN), vinculado à Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi). O órgão funciona na Rua do Passo, 42, no Pelourinho, em Salvador.

São oferecidas duas vagas – uma para cada segmento – com direito à suplência, mandato de dois anos e possibilidade de recondução. Os integrantes do conselho são escolhidos por instituições legalmente constituídas, há pelo menos três anos, e que tenham comprovada atuação no combate ao racismo para promover a igualdade racial. O edital e calendário de eleições podem ser conferidos no site da Sepromi.

Instituído há 28 anos, o CDCN é integrado por 21 conselheiros. São seis do poder público e 15 da sociedade civil, com igual número de suplentes. Além dos profissionais de imprensa e acadêmicos, compõem o conselho representantes dos segmentos afoxé, quilombo rural, capoeira, quilombo educacional, mulher negra, juventude, irmandade, de cristãos, religião de matriz africana, bloco afro e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA). O conselho tem por finalidade estudar, propor e acompanhar o relacionamento dos órgãos governamentais com a população negra, além do controle social, visando resgatar o direito à cidadania plena e participação na sociedade.

Fonte: Ascom/Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi)