As experiências nacional e internacional sobre projetos governamentais de banda larga e o uso de inovações tecnológicas para aprimorar a prestação de serviços públicos estão na pauta do seminário ‘Banda larga e inovações tecnológicas aplicadas ao serviço público: experiências britânica e brasileira’, que reúne em Salvador, no dia 22 de março, especialistas do Brasil e do Reino Unido. Promovido pela Rede Intergovernamental para o Desenvolvimento das PPPs (RedePPP), pela London School of Economics and Political Science (LSE Enterprise), pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fesp-SP) e pela Embaixada Britânica no Brasil, o evento será realizado entre 9h e 17h, no auditório da Desenbahia, na Avenida Paralela.

Liderada pela Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz), a RedePPP reúne 30 organizações brasileiras, entre estados, municípios, órgãos federais e agências de fomento. Com inscrições abertas a qualquer pessoa com interesse no tema, o seminário tem vagas limitadas a 140 participantes. As inscrições podem ser solicitadas pelo e-mail redepp@gmail.com ou pelo telefone 71 3115-2400.

Entre os participantes confirmados, estão Matheus Ortega, gerente de Projetos de Infraestrutura do Prosperity Fund, vinculado à Embaixada Britânica no Brasil, Carlos Alexandre Nascimento, diretor de Programas da LSE Enterprise, Rafael Castilho, coordenador de Projetos da Fesp-SP, e o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia, Manoel Mendonça, que falará sobre o estágio atual do projeto de banda larga do Estado da Bahia.

“O objetivo é discutir a experiência recente e as melhores práticas nacionais e internacionais para a estruturação e implementação de projetos inovadores com uso das Tecnologias da Informação e Comunicação, incluindo Parcerias Público-Privadas (PPPs), cidades digitais e smart cities (cidades inteligentes)”, explica o coordenador da RedePPP e chefe da Secretaria Executiva de Projetos de PPP da Sefaz-Ba, Rogério Princhak.

Um dos principais objetivos do seminário, explica Princhak, é trazer a experiência da Inglaterra nas PPPs de tecnologia, pois o país já desenvolveu diversos projetos desse tipo. No Brasil, a única PPP em tecnologia foi feita pelo Governo Federal junto com a Caixa Econômica e o Banco do Brasil. Trata-se de um data center, ou seja, um banco de dados para armazenamento de informações dos dois bancos.

Parceria

O evento, explica Princhak, marca o encerramento do primeiro ciclo de trabalho da RedePPP em parceria com a LSE Enterprise e a FESP-SP e a Embaixada Britânica, que foi desenvolvido no intuito de difundir o PPP na região Nordeste. Já foram realizados dois seminários, nas áreas de Saúde, em Salvador, e de Educação, em Fortaleza.

Além disso, a RedePPP, a London School e a Fesp acabam de lançar o MBA “PPPs e Concessões”, o primeiro do Brasil especializado em parcerias público-privadas. O curso terá uma turma inicial de 50 alunos e será realizado na modalidade educação a distância (EaD), com alguns encontros presenciais.

Entre os integrantes da RedePPP estão 14 estados, o Distrito Federal, oito municípios, além do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF), da Agência Estadual de Fomento do Estado do Rio de Janeiro (AgeRio), do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), da Agência de Fomento do Rio Grande do Sul (Badesul), da SC Participações e Parcerias (SCPAR) e da Empresa Mineira de Parcerias (EMIP).

Fonte: Ascom/Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz)