A estudante Glécia da Silva, 16 anos, do Colégio Estadual César Borges, no município baiano de Valente, no nordeste baiano, revela o seu entusiasmo pela oportunidade de estar participando da 14ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace). O evento, que acontece até esta quinta-feira (17), na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), na capital paulista, conta com a participação de 11 projetos de estudantes da rede estadual de ensino.

“Ter meu projeto selecionado para uma feira nacional é um privilégio, é a prova do reconhecimento do nosso potencial”, diz Glécia. Junto ao colega Ivan Pedro dos Santos, ela expôs o trabalho intitulado ‘Motor Dance: um fomento à prática da dança e exercício físico aos alunos portadores de necessidades especiais’, que já havia conquistado o 1º lugar, na categoria Ciências Exatas e Engenharia, na Feira de Ciências da Bahia (Feciba), promovida pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

Baseado na sustentabilidade e engenharia, o projeto reutiliza pneus, madeiras e controles de videogames para criar o Motor Dance, que vem a ser um tapete de dança utilizado para crianças com necessidades especiais da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), de Valente. “Estamos muito felizes representando a rede estadual de ensino com uma experiência que busca ajudar pessoas com deficiência a desenvolverem o raciocínio e o seu aparelho motor”, enfatiza a estudante.

Um dos representantes do projeto ‘Apresentação Preliminar da Avaliação Ambiental do Rio das Pedras – Conde/Bahia’, Ricardo do Rosário Junior, 19, que concluiu o ensino médio no Centro Integrado de Educação do Conde, no município do Conde, na mesma região, também fala do orgulho por ter tido o seu projeto selecionado para a Febrace.

Segundo Ricardo, “por ser o primeiro trabalho científico sobre o Rio da Pedra, as pessoas desconheciam a sua problemática. Então, é muito gratificante saber que estamos contribuindo para a recuperação da parte degradada desse rio. Além disso, estamos vivenciando uma oportunidade ímpar de trocar experiências e informações, o que traz para nós mais conhecimentos científicos, contribuindo para o nosso aprendizado”.

O coordenador da Feciba, Rogério Lima, que acompanha os estudantes da rede estadual em São Paulo, afirma que os alunos estão entusiasmados com a troca de experiências com colegas de todo o País. “O clima aqui é muito bacana. A rede estadual de ensino da Bahia está sendo valorizada pela sua aposta na iniciação científica entre os seus estudantes e o resultado está aqui hoje, representado por 11 projetos de grande importância social, muitos dos quais utilizam ferramentas digitais para facilitar a execução da pesquisa”.

Febrace

Este ano, estão sendo apresentados 341 projetos de 752 estudantes dos ensinos fundamental, médio e técnico de escolas públicas e particulares de todo o Brasil, orientados por 476 professores. Depois da exposição dos trabalhos, que segue até esta quinta, os vencedores serão divulgados na sexta (18). A Febrace é a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia do País e tem o objetivo de estimular o comprometimento do jovem pelo estudo científico.

Projetos da rede estadual participantes da 14ª Febrace

• Abordagem das viroses (zika e chikungunya) nas instituições de ensino da cidade de Pojuca

Colégio Estadual Padre João Montez (Pojuca)

• Acarajé funcional

Centro Territorial de Educação Profissional do Litoral Norte e Agreste Baiano (Alagoinhas)

• Apresentação preliminar da avaliação ambiental do Rio das Pedras – Conde/BA

Centro Integrado de Educação do Conde (Conde)

• Baraticida: Super matador de insetos

Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira (Ilhéus)

• Evolution – Proposta de nova descendência das aves

Colégio Estadual Wilson Lins (Valente)

• Ler ou não ler? Eis a questão

Centro Estadual de Educação Profissional em Controle e Gestão do Nordeste Baiano Pedro Ribeiro Pessoa (Catu)

Motor Dance: um fomento à prática da dança e exercício físico aos alunos portadores de necessidades especiais

Colégio Estadual Cesar Borges (Valente)

• Os donos da escola: Ressignificação do ambiente escolar através do grafite

Colégio Estadual Antonio de Deus Seixas (Catu)

• Produão de Etanol 2ª geração a partir de resíduos de frutas

Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira (Ilhéus)

• Rapcalc – Calcula pra mim

Centro Territorial de Educação Profissional da Bacia do Rio Corrente – Cetep (Santa Maria Da Vitoria)

• Reciclagem: Uma ideia que muda você!

Colégio Estadual Padre Luiz Soares Palmeira (Vitoria da Conquista)

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado da Bahia