Alunos da rede estadual da Bahia fizeram bonito na 14ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), encerrada na última sexta-feira (18) em São Paulo. Dos 11 projetos apresentados pelos estudantes, três foram premiados – ‘Motor Dance: um fomento à prática da dança e exercício físico aos alunos portadores de necessidades especiais’, ‘Ler ou não ler? Eis a questão’ e ‘Evolution – proposta de nova descendência das aves’. Os alunos receberam oito prêmios e certificações em diversas categorias.

Do município de Valente, na região nordeste do estado, foram premiados os projetos ‘Motor Dance’ e ‘Evolution’, respectivamente dos colégios estaduais César Borges e Wilson Lins. Os alunos Ivan Pedro dos Santos, 17 anos, e Gleice Élen Ferreira da Silva, 16, reutilizaram pneus, madeiras e controles de videogames para criar o ‘Motor Dance’, um tapete de dança para crianças atendidas pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

O engenhoso projeto, que alia sustentabilidade e engenharia, conquistou o prêmio Contribuição em Tecnologia Assistiva. “Este prêmio tem um significado muito grande para mim. Nunca imaginei participar de uma feira importante e ainda ser premiado. Vou levar essa experiência para minha vida e ainda posso repassar a meus colegas o aprendizado adquirido. Valeu a pena todo o esforço”, comemora o estudante Ivan Pedro.

Descendência das aves

Obtendo quatro prêmios na feira, o projeto ‘Evolution – proposta de nova descendência das aves’ questiona a real descendência das aves a partir de constatações que evidenciam semelhanças das aves com uma espécie de dinossauros. “Foi minha primeira participação na Febrace e estou voltando cheia de expectativas”, afirma a aluna do 3º ano, Alice Mascarenhas, 18.

Ela conta que ficou empolgada “todas as vezes que subi ao palco, mas gostei quando recebemos o 2º lugar geral em Ciências Biológicas”. O projeto também conquistou os prêmios Agência de Inovação USP; Prêmio Revista ECO 21; credencial para participar de um evento em Juazeiro do Norte, no Ceará; e garantia da publicação do artigo na revista científica como melhor projeto da Bahia.

Incentivo à leitura

Idealizado pela estudante Adryana da Paixão, 18, o projeto ‘Ler ou não ler? Eis a questão’ obteve três premiações – destaque iniciação científica pela Associação Brasileira de Incentivo à Ciência (Abric); 3º lugar destaque Febrace por área de conhecimento; e credenciamento para participar da V Feira de Ciências do Semiárido Potiguar em Mossoró, no Rio Grande do Norte, em outubro.

“Foi enriquecedor participar da Febrace pelo conhecimento adquirido e pelo reconhecimento que o projeto teve. Essa experiência foi decisiva para a escolha do curso de Letras que [desejo] fazer”, diz a estudante do 4º ano do curso técnico de nível médio de Petróleo e Gás do (Ceep) em Controle e Gestão do Nordeste Baiano Pedro Ribeiro Pessoa, em Catu, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

O projeto incentiva a leitura de clássicos da literatura. Para isso algumas ações são desenvolvidas. “Com os estudantes do Ceep, realizamos círculos de leitura a cada 15 dias e reabrimos a biblioteca com um trabalho de voluntariado que [já está com] a adesão de 23 alunos”, informa a orientadora do projeto, a professora de Língua Portuguesa, Elisangela Soares.

Feira pré-universitária

A Febrace é a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia do País e tem o objetivo de estimular o comprometimento do jovem pelo estudo científico. Na feira, são apresentados projetos de estudantes dos ensinos Fundamental, Médio e Técnico de escolas públicas e particulares de todo o Brasil.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado da Bahia