A Secretaria da Educação do Estado vem realizando a formação continuada de 1.211 orientadores de estudos, em 20 regiões da Bahia, que preparam os professores alfabetizadores nas redes municipais de ensino. Por meio do programa Educar para Transformar, a capacitação é promovida de forma integrada com a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), responsável pela coordenação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic) no estado.

“Uma das metas do programa Educar para Transformar é garantir a alfabetização de todas as crianças até os 8 anos de idade e, para isso, estamos fazendo o processo de formação que vai beneficiar 28 mil professores alfabetizadores na Bahia”, informa o secretário estadual da Educação, Osvaldo Barreto.

A capacitação acontece nos 18 municípios-polo de Feira de Santana, Valença, Santo Antônio de Jesus, Jequié, Senhor do Bonfim, Caetité, Vitória da Conquista, Ribeira do Pombal, Barreiras, Eunápolis, Itapetinga, Serrinha, Seabra, Irecê, Itabuna, Alagoinhas, Ipirá, Santa Maria da Vitória, além dos polos Grandes Cidades e Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Teoria e prática

 O orientador de estudos do município de Mucugê, Rafael Grimald Neto, afirma que “a formação continuada é de extrema importância para a atividade do docente porque, através dela, temos o contato com a teoria e a prática, fazendo com que o professor melhore seu desempenho na sala de aula”.

Já a orientadora do município de Piatã, situado no centro sul baiano, Cláudia Trindade Costa, destaca que “através do contato com os professores vamos ter um olhar diferenciado para atender a necessidade do aluno”.

Para a coordenadora de Apoio à Educação Municipal, da Secretaria da Educação do Estado, Nadja Amado, esta formação é desenvolvida ao longo do ano letivo beneficiando as redes estadual e municipais de ensino [para] o fortalecimento da política de alfabetização.

“O objetivo da formação é preparar os [orientadores] municipais para atuação, cada vez mais qualificada, na formação dos professores alfabetizadores, atendendo às necessidades de aprendizagem dos estudantes”, destaca.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado da Bahia