“Se o campo não planta, a cidade não janta”. Entoando essa frase, as mais de 100 mulheres que participaram da 2ª Conferência Livre de Assistência Técnica Rural para Mulheres encerraram o evento nesta sexta-feira (11), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador. Com o tema ‘ATER, Agroecologia e Alimentos Saudáveis. Sem Feminismo não existe Agroecologia. Sem Agroecologia não existem Alimentos Saudáveis – ATER para Mulheres já!’, a conferência teve início na quinta (10), com o objetivo de debater sobre questões como inclusão de gênero com enfoque central na agroecologia e inclusão socioprodutiva das mulheres camponesas.
Promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Assessoria Especial de Mulheres, o evento traz para discussão o protagonismo das mulheres rurais na sociedade e apoia ações em favor da integração social e econômica e da coesão social das mulheres em situação de extrema pobreza no meio rural, ampliando a participação dessas mulheres na execução das políticas públicas do Governo do Estado. 
O secretário da SDR, Jerônimo Rodrigues, esteve presente e destacou a importância do papel da mulher no desenvolvimento rural. “A minha passagem aqui é para agradecer pela construção que as mulheres tiveram durante as conferências municipais e depois no âmbito territorial, onde tivemos uma participação qualitativa. E, hoje aqui, é uma preparatória qualificada para a estadual e a nacional”.
Ainda segundo o titular da SDR, a secretaria está empenhada para, em parceria com as demais secretarias, lutar pela mulher brasileira rural. “As mulheres desempenham um papel importante no desenvolvimento rural do estado e precisam ter acesso ao conjunto de políticas públicas”, acrescentou. 

Conferência estadual 
Para a assessora de Política para Mulheres, Josiane Cruz, os dois dias de Conferência subsidiaram propostas para a realização da 2ª Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária, que acontece de 6 a 8 de abril, em Salvador. “As eleitas delegadas já terão pautas para trazer políticas públicas para todos os territórios do nosso estado. Esse foi um debate muito rico e em abril vamos fortalecer ainda mais esse debate para que cada vez mais possamos fortalecer o empoderamento das mulheres baianas”. Ao todo, foram eleitas 124 delegadas, sendo 16 mulheres do Programa Nacional de Crédito Fundiário.
Durante o evento foram discutidos temas como Direitos Previdenciários e Políticas Públicas para Mulheres Rurais, Questões de Gênero e Trabalho e Violência no Campo, Sistema Nacional de ATER – Fortalecimento Institucional, Estruturação, Gestão, Financiamento, Participação Social e Empoderamento de gênero e geração e ATER e Políticas Públicas para as Mulheres, entre outros.

Fonte: Ascom/Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR)