Proporcionar à população de Feira de Santana mais uma oportunidade de entretenimento cultural, é o que pretende a I Mostra de Cinema Contemporâneo do Nordeste ao promover a cinematografia produzida na região, por meio da exibição de curtas e longas metragens de ficção e documentário. O evento acontece no Centro de Cultura Amélio Amorim, um dos 17 espaços culturais administrados pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult), durante todas as quintas-feiras, até o próximo dia 31. 

A iniciativa tem o apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA), mecanismo de fomento à cultura administrado pelas secretarias estaduais de Cultura (Secult) e da Fazenda (Sefaz-BA), por meio do edital Agitação Cultural: Dinamização de Espaços Culturais. O propósito é oferecer oportunidade à população de assistir filmes que vêm obtendo destaque em festivais nacionais e internacionais, mas que nem sempre conseguem espaço nas salas de cinema comerciais.

O evento terá exibições pela manhã, quando serão apresentados documentários, e tarde, com os filmes ficcionais. Cada sessão é composta por um curta e um longa-metragem. Além das exibições, a I Mostra oferece, paralelamente, três oficinas em três vertentes variadas da sétima arte – ‘Cinema e Educação nas Escolas’, ‘Práticas de Roteiro para Curta-metragem’ e ‘Webdocumentário’.

Fundo de Cultura

Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artísticas e culturais baianas, o Fundo de Cultura da Bahia custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. São financiados, preferencialmente, aqueles que, apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

O FCBA está estruturado em quatro linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação – Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Mais informações estão disponíveis no site da Secult.


Fonte: Ascom/Secretaria de Cultura do Estado (Secult)