A Mostra de Cinema Contemporâneo do Nordeste encerra as exibições de filmes, no Centro de Cultura Amélio Amorim – espaço administrado pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult) em Feira de Santana. Por isso, o público ganha exibições em dose dupla , nestas quarta e quinta-feira (30 e 31), com sessões às 10h e 14h. Projeto apoiado pelo Fundo de Cultura da Bahia (FCBA), a mostra, que é gratuita, possibilitar a exibição de filmes de destaque, produzidos no Nordeste brasileiro, que o público dificilmente teria acesso nas salas de cinemas tradicionais.

Na sessão desta quarta (30), que começa às 10h, o público pode acompanhar o curta-metragem ‘Acercadacana’, dirigido pelo pernambucano Felipe Peres. Nos anos 1990, com a valorização do etanol e a expansão do latifúndio canavieiro, 15 mil famílias foram expulsas de seus sítios na zona da mata de Pernambuco, mas Maria Francisca decidiu resistir (classificação 12 anos).

Em seguida, será exibido o longa ‘Pacific’, um documentário criado a partir de filmagens de momentos registrados por passageiros durante um cruzeiro, a bordo do Pacific, rumo a Fernando de Noronha. O filme apresenta o olhar de si mesmo dos atores, que também são autores. O documentário, de 2009, é dirigido por Marcelo (classificação livre).

Na quinta (dia 31), às 14h, a Mostra encerra a exibição com o curta ‘Como Era Gostoso Meu Cafuçu’, que retrata dois amigos da periferia que vão a uma festa burgesa e despertam desejos sexuais por lá. Um filme paraibano de 2015, com direção de Rodrigo Almeida. ‘Batguano’ é o longa apresentado em seguida, com direção de Tavinho Teixeira. Conta a história de Batman e Robin, uma dupla repentista punk-rock inseparável, que mora em um trailer afastado e, divido a sua perfeição, decide encontrar seu lugar em galáxias distantes (classificação18 anos).

Fundo de Cultura

Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artísticas e culturais baianas, o Fundo de Cultura da Bahia (FCBA) custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. São financiados, preferencialmente, aqueles que, apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

O FCBA está estruturado em quatro linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação – Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Mais informações estão disponíveis no site da Secult.

Fonte: Ascom/ Secretaria de Cultura do Estado (Secult)