A exposição ‘Tem Fogo?’, em cartaz no foyer do Cine-Teatro Solar Boa Vista, no bairro Engenho Velho de Brotas, em Salvador, desde o último dia 8, recebe a visita da autora, a artista Daiane Oliveira, para uma conversa com o público, nesta sexta-feira (18), às 19h. Esta e outras atividades, como exibição de curtas-metragens, que acontecem no mesmo dia, são gratuitas e integram a programação do Festival Minavu, realizado pelo Coletivo Minavu e a Multi Planejamento Cultural.

O projeto realiza a programação até junho, com o apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA), mecanismo de fomento à cultura administrado pelas secretarias estaduais de Cultura (Secult) e da Fazenda (Sefaz-BA), por meio do edital Agitação Cultural: Dinamização de Espaços Culturais. Sob curadoria de Priscila Lolata, a cada mês uma artista convidada traz ao público técnicas com propostas artísticas sobre o universo feminino e sua conexão com o mundo, para ocupar o foyer do espaço.

Este mês, o projeto recebe o trabalho de Daiane Oliveira, que explora o tema a partir da conjunção de duas obras em grandes dimensões. A artista grava diretamente na parede, com fogo, um Manual de Autossuficiência Sexual e pergunta se “Tem fogo?", trazendo um debate sobre os pudores e a liberdade sexual feminina.

"Foi um prazer pensar exposições abordando a mulher com trabalhos de artistas mulheres, e para a primeira, essa série de Daiane Oliveira me veio logo à mente” afirma Lolata. Ela diz que o trabalho da artista “mexe com questões da insatisfação e autossuficiência sexual feminina. Assunto silenciado por tanto tempo pelas gerações passadas e que ainda traz algum constrangimento quando posto em público. Gosto muito da liberdade íntima que a artista afirma nessas obras, a mulher que busca do seu prazer. Considero uma proposta de queima dos tabus sexuais do universo feminino, pela própria mulher". A exposição fica em cartaz até o próximo dia 31, com visitação das 14 às 18h.

Diálogo e curtas

Um diálogo aberto também faz parte da programação do Festival Minavu no mesmo dia e local, e acontece a partir das 17h. A cineasta e jornalista Ceci Alves será a mediadora da conversa que terá como tema ‘A libertação da mulher através da arte – O protagonismo feminino no audiovisual’, para a qual também serão convidadas a produtora, Tenille Bezerra e a cineasta Claudia Chávez. Em seguida, serão exibidos os curtas-metragens ‘Dia de Jerusa’, de Viviane Ferreira (BA), ‘Qui-Lombo é Esse?’, de Everlane Moraes (BA/SE), ‘Akará, Bola de Fogo’, de Cláudia Chavez (Lima, Peru) e ‘Da Alegria, do Mar e de Outras Coisas’, de Ceci Alves (BA).

Fundo de Cultura

Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artísticas e culturais baianas, o Fundo de Cultura da Bahia custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. São financiados, preferencialmente, aqueles que, apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

O FCBA está estruturado em quatro linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação – Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Mais informações estão disponíveis no site da Secult.

Fonte: Ascom/Secretaria de Cultura do Estado (Secult)