Durante quatro meses, de março a junho deste ano, o Minavu, coletivo de mulheres artistas, realizará seu primeiro festival, que busca incentivar, empoderar e conectar mulheres por meio da arte. Promovido pelo coletivo e pela Multi Planejamento Cultural, o Festival Minamu começa nesta segunda-feira (7), no Cine-Teatro Solar Boa Vista, com a oficina ‘Live VideoPerformance e VideoMapping’, ministrada por Marcília Cavalcante
Artes visuais, música, audiovisual, design, moda, gastronomia e dança estão entre as linguagens que integram a programação do festival, com participação de mais de 100 mulheres artistas, mobilizando uma rede local. Além de apresentações artísticas, o projeto prevê oficinas de formação em áreas profissionais pouco ocupadas por mulheres no mercado cultural e propõe ações de estímulo ao empreendedorismo.
Estão previstas também exposições, oficinas, feiras, diálogos temáticos, com entrada gratuita, e shows a preços populares. O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado (Edital Agitação Cultural: Dinamização em Espaços Culturais), através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda (Sefaz) e Secretaria de Cultura (Secult). 
Como pano de fundo, o evento busca trazer à tona a discussão sobre o papel das mulheres no cenário artístico-cultural. “As ações pretendem incentivar, capacitar, promover e fortalecer a cena cultural feminina da Bahia, promovendo também o trabalho em rede”, explica Ana Paula Vasconcelos, sócia-diretora da Multi Planejamento Cultural.
“O Coletivo Minavu começou com reuniões, laboratórios e eventos locais, mobilizando as artistas parceiras. O cenário foi se ampliando e fomos crescendo enquanto rede. Agora, com o festival, teremos a oportunidade de trabalhar com a capacitação de mais mulheres, para que haja mais profissionais mulheres atuando dentro da arte e do mercado, que ainda é excludente para muitas”, reforça Natália Arjones, artista visual e co-fundadora do Coletivo Minavu. 

Mês da Mulher

O festival estreia na véspera do Dia Internacional da Mulher. A oficina ‘Live Video Performance e Video Mapping’ tem conteúdo voltado para novas tecnologias de vídeo-projeção. As aulas vão acontecer de segunda a sexta-feira, sempre das 9h às 13h. São apenas 20 vagas, exclusivas para mulheres, com inscrições pelo site do Coletivo Minavu.
Uma semana após o fim da oficina, no dia 18 de março, dois eventos movimentam a programação do festival. A data marca a abertura da exposição ‘Tem Fogo?’, da artista Daiane Oliveira, que tem curadoria de Priscila Lolata, no foyer do teatro. No mesmo dia, às 17h, acontece um diálogo aberto dentro da temática ‘O protagonismo feminino no audiovisual’. A cineasta e jornalista Ceci Alves será responsável pela mediação do diálogo, com a participação da produtora Tenille Bezerra e da cineasta Marília Hughes. Em seguida, haverá mostra de curtas-metragens.
Já no dia 20 de março, a música vai dar o tom da ocupação criativa feminina no Solar Boa Vista. No palco, encontram-se Rebeca Matta, Livia Nery, Andrea Martins e Jadsa Castro, com direção musical e baixo de Carla Susart, guitarra de Kamile Levek, bateria de Patricia Teles e percussão de Maria Izabel e Dani Mota. O show começa às 19h.

Programação

7 a 11/ 3
9h às 13h – Oficina ‘Live VideoPerformance e VideoMapping’. Com: Marcília Cavalcante
Entrada gratuita
 
18/3
16h30 – Abertura da exposição ‘Tem Fogo?’, da artista Daiane Oliveira. Curadoria: Priscila Lolata
17h – Diálogos + Mostra Artística. Tema ‘A Libertação da mulher através da arte – O protagonismo feminino no audiovisual’. Mediadora: Ceci Alves
Entrada gratuita
 
20/3
19h às 20h – Feira de Empreendedoras Criativas. Entrada Gratuita
19h – Banda Minavu convida: Andrea Martins + Jadsa Castro + Livia Nery + Rebeca Matta
Preços: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)