Após utilizar um serviço público, o cidadão vai receber uma ligação, feita por profissionais devidamente preparados, para avaliar o seu grau de satisfação. Essa é a principal linha de atuação do Conselho de Qualidade do Serviço Público (Conquali), que teve o regimento aprovado nesta terça-feira (22). O encontro, que teve a presença de membros do conselho, aconteceu na sede da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb), no CAB, em Salvador.

“Termos uma agenda específica para avaliar a qualidade do serviço prestado às pessoas representa uma mudança de cultura organizacional relevante e um marco na administração pública baiana”, afirmou o secretário da Administração e presidente do Conquali, Edelvino Góes. Para ele, o conselho é fundamental para que o Estado disponibilize uma ferramenta com o intuito de apontar melhorias na prestação de serviços, ouvindo o próprio cidadão. “O objetivo principal é fazermos uma avaliação da percepção do usuário entre o serviço esperado e o que ele recebeu, visando acima de tudo a satisfação dele”, explicou.

Aproximação

Também presente à 1ª reunião do Conquali, que será trimestral, o ouvidor-geral do Estado, Yulo Oiticica, explicou o papel da Ouvidoria Geral do Estado (OGE) como um mecanismo de gestão. “O foco hoje é a aproximação e participação do cidadão. Por isso não basta apenas indicar o problema, mas sugerir soluções”. Para começar a mensurar as primeiras observações, as pesquisas de satisfação serão aplicadas na prestação de serviços públicos nas áreas de saúde, educação, segurança e no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA).

Ainda no encontro foi definida a comissão permanente para consolidação e acompanhamento das Assessorias de Planejamento e Gestão (APG), que será composta por representantes da Saeb e secretarias estaduais do Planejamento (Seplan) e da Fazenda (Sefaz-BA). O objetivo principal é implantar um sistema de governança para institucionalizar os processos e planos de trabalho. Os conselheiros também conheceram as propostas de políticas e diretrizes de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), que têm o objetivo principal de formatar um regimento único. “Uma das funções do Conselho é analisar e deliberar essas propostas a serem aplicadas na prestação dos serviços públicos”, afirmou Góes.

Atuação

O Conquali atuará em parceria com os órgãos e entidades da Administração Pública, com foco na qualidade da prestação do serviço público, conforme as metas de governo. “Vamos trabalhar no sentido de desburocratizar e monitorar sistematicamente a prestação de serviços públicos, definindo métricas do padrão de atendimento, além de implantar padrões de qualidade, metas, indicadores e parâmetros para avaliação destes serviços”, explicou o secretário. Integram o conselho representantes da Saeb, Sefaz, Seplan, Casa Civil, Prodeb, Superintendência de Atendimento ao Cidadão (SAC), Superintendência de Gestão e Inovação (SGI) e OGE.

Fonte: Ascom/Secretaria da Administração do Estado (Saeb)