Uma manhã de folia vai marcar o lançamento das Ações Sociais do Governo do Estado para o Carnaval da Bahia 2016. Na próxima segunda-feira, dia 1º, às 10h, o Palácio Rio Branco, em Salvador, receberá a música da Orquestra de Berimbaus do Projeto Axé, a Band”Êre, grupo percussivo mirim do Ilê Aiyê, e o Bloco da Capoeira de Tonho Matéria, na abertura do evento que divulga os serviços de proteção aos direitos humanos que estarão disponíveis durante o Carnaval da capital baiana.

As secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (Justiça Social), do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), de Cultura (Secult) e de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), representadas, respectivamente, pelos secretários Geraldo Reis, Álvaro Gomes, Jorge Portugal e Vera Lúcia Barbosa, apresentarão as ações integradas de combate à exploração sexual e trabalho infantil, às formas degradantes de trabalho, à violência LGBT, ao racismo, ao tráfico de pessoas, dentre outras formas de violação de direitos. Além disso, serão apresentados os detalhes do apoio do Governo do Estado aos catadores de resíduos sólidos, com os projetos Eco Folia Solidária e Cata Bahia.

Madrinha da campanha ‘Fique de Olho. No Carnaval de todo mundo criança não trabalha’, Margareth Menezes recebe a imprensa para sensibilizar os foliões sobre a importância de proteger as crianças durante a festa. Pelo terceiro ano consecutivo, a cantora apoia a ação do Governo para chamar a atenção de turistas e baianos para o cuidado com a infância, denunciando o trabalho infantil, maus tratos, abuso sexual e outras formas de violência pelo Disque 100.

Nos dias da festa, um posto fixo localizado na sede do Procon-Ba (Rua Carlos Gomes, nº 746) vai reunir serviços voltados à garantia de direitos, como o Plantão Integrado de Proteção, o Observatório de Violações dos Direitos da Criança e do Adolescente, o Centro Nelson Mandela Itinerante, serviço de enfrentamento ao racismo, e o Adolescente, Proteja!, ação de acompanhamento das apreensões de adolescentes e de redução de danos em casos de drogadição.

Denúncias poderão ser feitas presencialmente no posto, além do Disque 100 ou pelo telefone do Plantão (71 3116-0567 – apenas no período do carnaval). Para os casos de racismo, o público poderá acionar o 0800 284 0011 (Ouvidoria Geral do Estado – OGE) ou 71 3117-7448 (Centro de Referência Nelson Mandela).

A programação completa da festa e mais informações podem ser conferidas no site do Carnaval da Bahia.

Fonte: Ascom/Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS)