Vinte baianas de acarajé participaram esta semana da primeira turma do Curso de Manipulação de Alimentos e Gestão Básica, oferecido gratuitamente pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com a Universidade Católica de Salvador (UCSal). Iniciadas segunda-feira (11), as atividades foram concluídas nesta quarta (13). As aulas da próxima turma começam no dia 18 deste mês.

A receptividade aos novos conhecimentos e a agregação de valores ao quitute foram destacados por Jeane Aleluia Nabor Fonseca, uma das participantes do curso. “Estamos vivendo e aprendendo coisas novas. Eu, que trabalho [junto] à Sereia de Itapuã há 12 anos, sei o quanto é fundamental atender o cliente com [o] coração bom para que ele volte sempre”.

Outra aluna do curso, a baiana Joselita de Jesus Costa (Jôse) ensinou como preparar o acarajé para ficar saboroso. “Deixe o feijão de molho durante duas horas e esfregue para que solte todas as cascas. Escorra a água em uma peneira e passe o feijão fradinho em um processador, transformando-o em massa fina para que o acarajé fique bem crocante”.

Também concluiu a capacitação a baiana Tânia Bárbara Néry, que atende clientes no Farol da Barra, um dos principais cartões-postais da capital. “Tudo começou com a minha bisavó, e hoje estou à frente do tabuleiro com meu filho Anderson e a minha filha Ana Cássia. O principal aprendizado que levo da sala de aula é saber informar aos meus clientes, com toda segurança, sobre os produtos que coloco à venda”.

O professor Márcio Tavares foi um dos instrutores do curso que abordou assuntos como função dos alimentos, além de higiene e conservação, conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Coordenador de Microfinanças da Setre, Weslen Moreira reiterou as palavras do secretário Álvaro Gomes desde que a ideia do curso surgiu. “Esta ação da Superintendência de Economia Solidária é de fundamental importância […]. Todas [as baianas] merecem oportunidade de qualificação e nós estaremos prontos para oferecer o que for possível sempre”.