As Assessorias de Planejamento e Gestão (APG), criadas há um ano pela Lei n° 13.204/2014, têm cumprido bem o papel de assessorar os titulares das secretarias do Estado da Bahia nas atividades relativas à gestão organizacional, planejamento estratégico, orçamento e tecnologias da informação e comunicação (TIC). A atuação das assessorias em 2015 colaborou para a definição das estratégias de ação de cada órgão estatal, facilitando o alcance de metas e elevando a qualidade da prestação dos serviços públicos e a satisfação dos usuários.
Entre as soluções implementadas pelas APG, destacam-se a elaboração do Plano Estratégico das Secretarias e do Plano Plurianual para o período 2016-2019. “O salto de qualidade foi possível em função do reposicionamento da Secretaria de Planejamento que, conforme prevê o Sistema Estadual de Planejamento, elevou o Plano à condição de principal instrumento norteador das políticas públicas”, destacou o assessor de Planejamento e Gestão da Secretaria da Administração (Saeb), Wilson Cardoso.
Outras conquistas das APG estão relacionadas à padronização de processos de planejamento orçamentário e de gestão; qualificação dos gastos públicos e Plano de Aquisição de TIC. Segundo o diretor de Soluções em Gestão da Secretaria da Administração (Saeb), Milton Coelho Filho, as APG têm contribuído para melhorar o desempenho organizacional do Governo, coordenando o necessário aprimoramento da estrutura para executar a estratégia e alcançar as metas, através da disponibilização de técnicos dedicados exclusivamente à gestão. 

Conquali 

Neste primeiro semestre de 2016, as APG terão o reforço do Conselho de Qualidade do Serviço Público (Conquali), que terá os trabalhos iniciados a partir da posse dos conselheiros, já nomeados. As funções do conselho são estabelecer metas e pactuar resultados; apreciar e deliberar sobre propostas de políticas e diretrizes de Tecnologias de Gestão e TIC que aprimorem a qualidade dos serviços públicos. O Conquali será responsável também pelo monitoramento da qualidade dos serviços prestados nos órgãos do Estado.
Para o secretário da Administração e presidente do Conquali, Edelvino Góes, a atuação conjunta das duas instâncias, APG e Conquali, possibilitarão “melhorar a qualidade dos serviços públicos a partir da otimização dos planejamentos; definição de metas mais realistas e mensuráveis e envolvimento dos servidores públicos no alcance de resultados pactuados, com consequente aprimoramento da satisfação dos usuários”. 
Fonte: Ascom/Secretaria da Administração do Estado da Bahia (Saeb)