Em reunião com 13 prefeitos da Região Metropolitana de Salvador (RMS), o governador Rui Costa anunciou a construção da primeira policlínica da região. A ação é parte do projeto dos Consórcios de Saúde e funciona como uma forma de desafogar o sistema e melhorar o atendimento à população.

A ação foi apresentada na quarta-feira (2), durante o primeiro encontro da Entidade Metropolitana em 2015, e contou também com as presenças dos secretários Carlos Martins (Desenvolvimento Urbano), Josias Gomes (Relações Institucionais) e João Leão (Planejamento). Ainda estiveram presentes os prefeitos de Madre de Deus, Jeferson Andrade; de São Francisco do Conde, Evandro Almeida; de São Sebastião do Passé, Simões Filho, Eduardo Alencar; Dias D´Ávila, Camaçari, Ademar Delgado; de Lauro de Freitas, Márcio Paiva; de Mata de São João, João Gualberto Vasconcelos, e de Vera Cruz, Antônio Magno.

De acordo com o projeto, os consórcios (31 no total), que atualmente envolvem apenas municípios, terão a participação do Estado, passando a ficar responsáveis pela gestão regionalizada de serviços, como unidades de pronto atendimento, laboratórios regionais e, eventualmente, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), e hospitais municipais.

A meta é construir 28 policlínicas com até 13 especialidades, 32 serviços e equipamentos – a exemplo de tomógrafos e de ressonância magnética – para rastreamento de câncer de mama e outros exames. A proposta prevê ainda que o Estado seja o responsável pela construção e aquisição dos equipamentos das unidades, além de cofinanciar até 40% da manutenção, enquanto os municípios consorciados irão ratear o restante.

A entidade

A Entidade Metropolitana tem caráter deliberativo e normativo para aprovar objetivos, metas e prioridades de interesse regional, compatibilizando-os com os objetivos do Estado e dos municípios que o integram, bem como fiscalizar e avaliar sua execução. A direção-executiva da entidade ficará a cargo do secretário de Desenvolvimento Urbano, Carlos Martins.

"A Entidade Metropolitana vai regular ações na RMS que são de extrema importância para o desenvolvimento econômico e social da região. É um órgão colegiado em que estado e municípios, juntos, vão discutir ações e projetos para melhoria da RMS", explicou.

Nesse primeiro encontro, a intenção foi discutir como se dará a implementação e funcionamento da entidade. Entre os projetos, está à construção do Plano de Desenvolvimento Urbano da RMS, que tratará, de forma integrada, questões relativas aos municípios, a exemplo de Resíduos Sólidos, Abastecimento, Saneamento e Mobilidade. Depois dessa reunião, os prefeitos deverão indicar seus representantes na Entidade Metropolitana e um novo encontro será convocado ainda em 2015.