A condição do tempo neste ‘feriadão’ de Réveillon não apresenta mudanças significativas na Bahia, conforme a previsão do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). A massa de ar quente e seco, que influencia o clima há várias semanas perde força, resultando no aumento da nebulosidade e na possibilidade de chuva em grande parte do estado. No entanto, o volume maior está previsto apenas para algumas regiões, a exemplo do oeste, São Francisco e norte.

Também são nessas regiões que a temperatura fica mais alta, com máxima variando entre 37°C e 39°C, o que também possibilita a ocorrência de trovoadas, como é típico no verão. Na Chapada Diamantina e sudoeste, onde há chance de ocorrer chuva, com intensidade moderada, a temperatura fica mais amena, variando entre mínima de 18°C e máxima de 33°C.

Regiões litorâneas

Nas regiões mais próximas ao litoral, como Recôncavo Baiano, nordeste e sul, a possibilidade de chuva é menor. Para essas áreas o Inema prevê temperatura elevada, variando de 33°C a 36°C, o que aumenta a chance da ocorrência de chuva. Em Salvador e região metropolitana, a temperatura deve continuar elevada, oscilando entre 23°C (mínima) e 33°C (máxima). Tam há previsão de chuva passageira, o que não irá comprometer a celebração do Réveillon.

Maré

Desta quinta-feira até domingo (31 e 3 de janeiro), a maré deve atingir altura máxima, das 7h às 11h e das 19h às 23h, variando de 1,5 a 2,2 metros. Já a altura mínima deve ocorrer, entre a 1h e às 5h, e das 13h e às 17h, variando de 0,5 a 1,2 metro. As ondas previstas para o feriadão deverão ter agitação fraca, com altura máxima em torno de 1,5 metro.

Radiação

Uma das características do verão é a elevação na incidência da radiação solar e, consequentemente, dos Índices de Radiação Ultravioleta (IUVs). Desta quinta a domingo), os IUVs deverão variar de 12 a 13, na categoria ‘Extrema’, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A elevação dos índices de radiação demanda maior atenção das pessoas quanto à exposição prolongados ao sol, principalmente das 10h às 16h, quando os danos à saúde são maiores. Por isso é recomendado o uso de protetor/filtro solar, chapéu, boné, óculos escuros e roupas leves.

Fonte: Ascom/Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema)