A cor vermelha se destacou no colorido das ruas Centro Antigo de Salvador, nesta sexta-feira (4), marcando o Dia de Santa Bárbara (para católicos) e de Iansã (no Candomblé). Patrimônio Imaterial da Bahia e exemplo de tolerância religiosa, a homenagem abriu o calendário de festas populares no estado, que segue com diversas celebrações como as da Conceição da Praia (8 de dezembro), Bom Jesus dos Navegantes, Senhor do Bonfim e a de Iemanjá, em 2 de fevereiro.

Organizados pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, com apoio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), através do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), os festejos foram iniciados com uma missa, às 9h. Os devotos homenagearam a santas oferecendo flores, acarajés, abarás e cocadas. Em seguida milhares de baianos e turistas participaram do cortejo. A TVE, integra o Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb), transmitiu a festa ao vivo durante o programa TVE Revista.

Exemplo para o mundo

Com uma flor vermelha enfeitando o cabelo e sorridente, Justiniana da Silva participa da comemoração do Dia de Santa Bárbara há 44 anos. “Temos que prestar as homenagens e agradecer. Não é à toa que a festa acontece aqui no Pelourinho. É muita gente com energia boa”.

O titular da Secult, Jorge Portugal, disse que a data representa mais do que uma festa religiosa. “Parte da minha emoção é por lembrar da minha mãe, que era devota de Santa Bárbara, e também pelo povo negro unido aqui, pedindo paz, pedindo amor, rogando por tolerância. Isso também é uma tradição. Essa é a forma de ser da Bahia, que é também um exemplo para o mundo”.

A homenagem à religiosa simboliza “tudo que nós acreditamos, a fé e as políticas públicas caminhando juntas, o respeito, sobretudo ao ser humano, independente do credo. […]”, enfatizou a secretária de Promoção da Igualdade Racial, Vera Lúcia Barbosa.

Padroeira dos bombeiros

O cortejo passou pela Praça da Sé rumo ao Quartel do Corpo de Bombeiros, na esquina da Ladeira da Praça com a Baixa dos Sapateiros, onde a padroeira da corporação também foi homenageada. Os bombeiros militares baianos tiveram dois motivos para a celebrar a data em 2015: o retorno da festa ao quartel e o primeiro 4 de dezembro após a emancipação do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar.

Outra novidade deste ano foi o retorno do tradicional banho de mangueira, com água benta, que animou e refrescou os participantes do cortejo. Segundo a tenente Vanessa Matos, abrir o quartel para receber a santa e a comunidade é uma forma de aproximar o trabalho realizado pelos bombeiros da sociedade civil. “É uma festa resgatar as tradições do Dia de Santa Bárbara”.

Retorno das imagens

Saindo do Quartel, a imagem foi conduzida pela Baixa dos Sapateiros até o Mercado de Santa Bárbara, onde é servido o caruru, fazendo o caminho de volta à Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

Um dos participantes da festa, Paulo Sérgio Santos, que faz aniversário em 4 de dezembro, estava animado para continuar a comemoração no Centro Antigo, mesmo após o término da celebração religiosa. “Hoje, [dia do] meu aniversário, eu [festejo] com as pessoas nas ruas. Faço isso há muitos anos porque tive a graça de nascer nesse dia”.

No período da tarde, Jorginho Commancheiro, Márcia Short e Juliana Ribeiro animam a festa no Pelourinho. A programação no palco principal será encerrada com a apresentação dos Negros de Fé, a partir das 19h30. Simultaneamente outras atrações ocorrem nos largos Pedro Archanjo e Tereza Batista.

Repórter: Anna Larissa Falcão