A inauguração de novas instalações, ampliações e reformas do campus do Sosígenes Costa, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), em Porto Seguro, no extremo sul, na manhã desta segunda-feira (14), representam melhoria e novos investimentos no ensino superior público do estado. A cerimônia de entrega aconteceu no auditório da instituição, com a presença do governador Rui Costa, do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, acompanhados pelo reitor Naomar de Almeida Filho.

No evento, o governador ainda assinou o protocolo para a continuação das obras do Centro Cultural e Eventos de Descobrimento (CCED), além da ordem de serviço para construção Núcleo Pedagógico do município de Itabuna, um projeto comprometido com a sustentabilidade e instalações modernas. Antes da cerimônia, a comitiva conheceu o campus Sosígenes Costa.

Rui Costa afirmou que durante muitos anos a Bahia merecia e precisava de outra universidade federal. "Eu acredito que não podemos abrir mão da democracia e da educação como fatores importantes de transformação social, porque a minha própria história é resultado disso. Eu, que fui duas vezes aluno da Universidade Federal da Bahia [Ufba], sei do quanto o nosso estado precisou, por 200 anos, de outras instituições de ensino superior público. Hoje, temos seis universidades, mas queremos continuar avançando com mais vagas, mais concursos de professores com prioridade para aquelas que estão surgindo agora".

O governador ainda destacou o programa Educar para Transformar- Um Pacto pela Educação, que convida as prefeituras, empresários, famílias e educadores para um engajamento social no processo de formação dos cidadãos baianos. "Precisamos da convicção de que o envolvimento da sociedade como um todo nas escolas é o necessário para o desenvolvimento do instrumento transformador que se chama educação. Peço às famílias e aos estudantes que estão aqui para dedicarem duas ou três horas de seu tempo, para ajudar crianças e jovens com o ensino básico".

Durante o evento, estudantes pediram melhorias na universidade e foram saudados pelo ministro Aloizio Mercadante, que comemorou a possibilidade de diálogo e de voz de todos os agentes sociais envolvidos na educação, incluindo os representantes das comunidades indígenas da região.

"Esses jovens pedem, com razão, mais verba para a educação. Nos últimos 10 anos nunca se investiu tanto na educação na história do Brasil e deste estado. São novas universidades, políticas de inclusão por meio das cotas, do Fies [Fundo de Financiamento Estudantil], da universalização do acesso através do Enem [Exame Nacional do Ensino Médio], quando o aluno que tem menos condições financeiras não precisa se deslocar pelo Brasil inteiro para fazer provas em universidades de outros estados. Nessa universidade estamos ampliando isso, e considero que o mais transformador é a implantação dos colégios universitários, capacitando os estudantes da região para disputar com igualdade onde e o curso que quiserem".

Colégios universitários

Com pouco mais um ano desde o início das aulas da primeira turma, em setembro de 2014, a UFSB recebeu cerca de R$ 2,1 milhões em investimentos do MEC para a construção de um novo pavilhão de salas de aulas, a reforma do espaço de leitura, ampliação e melhorias em 18 salas que já tinham sido construídas. Para o reitor, a parceria com os governos federal e estadual, com apoio de prefeituras, outras universidades, é fundamental para criar a inovadora instituição. Ele contou brevemente a história e as novidades da instituição.

"Conseguimos aqui reunir aqui uma estrutura de gestão eficaz, com pro-reitorias de sustentabilidade, integração social e de comunicação, diferente das demais universidades. Ainda conseguimos implantar o sistema de colégios universitários em oito municípios da região, a princípio. Mas, a ideia é abranger mais de 30 localidades com a consolidação da UFSB, com programas de pós-graduação, licenciaturas voltadas para educação básica e nos preocupando com inclusão de uma diversidade de grupos sociais do sul da Bahia e de outros estados. Queremos manter esse ritmo de construção social e revolução institucional", enfatizou Naomar.

Aproveitando o espaço de leituras recém entregue para a comunidade universitária, o estudante do Bacharelado Interdisciplinar de Ciências, Célio Assis, salientou a melhoria das salas de aulas. "Estão bem estruturadas, e eu espero que mais salas assim sejam construídas no campus".

UFSB

Atualmente, a Universidade Federal do Sul da Bahia funciona também em Itabuna, no campus Jorge Amado, e em Teixeira de Freitas, no campus Paulo Freire, reunindo cerca de 1.600 estudantes. A instituição oferece os cursos de Bacharelados Interdisciplinares (BI) em Artes, Ciências, Humanidades e Saúde, que são cursos de graduação plenos de formação humanística, científica e artística de modo interdisciplinar, e que permitem ao estudante desenvolver competências e habilidades para uma posterior formação profissional (2º Ciclo) ou ingresso em curso de pós-graduação (3º Ciclo). A previsão é que o segundo ciclo de formação tenha início em setembro de 2016 e devem incluir cursos como Medicina, Direito, Ciências Biológicas e outras dez opções.

Além dos BIs, também são oferecidas as Licenciaturas Interdisciplinares, cursos de formação de docentes para o ensino básico em grandes áreas ou blocos de conhecimento com duração de três anos, sendo o último ano de formação prática na área de escolha de atividade docente. Entre as opções de licenciaturas estão Artes e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e Sociais e suas Tecnologias, Linguagens e Códigos e suas Tecnologias e Matemática e Computação e suas Tecnologias.

Repórter: Ana Larissa Falcão