Com apenas um metro e trinta e dois centímetros de altura, Leonarda Alves, 12 anos, é uma gigante dos tatames. Moradora do bairro de Plataforma, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, a bicampeã Pan-Americana de karatê coleciona medalhas. Ela é tetracampeã brasileira em kumitê e tricampeã na modalidade catar, ouro no Mundial da Argentina, além de diversas competições estaduais que participou. As artes marciais também têm trazido vitórias para o jovem Igor Nogueira, 20, portador de Transtorno do Espectro Autismo (TEA). Com a doença detectada aos 7 anos, o garoto teve problemas para se desenvolver. As condições mecânicas, psicológicas e sociais de Igor só ganharam o caminho do progresso quando ele passou a praticar o jiu jitsu.

A história dos dois campeões impressionaram o governador Rui Costa, que, nesta quarta-feira (16), recebeu os jovens na Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em turnos opostos. Durante o encontro com Leonarda, pela manhã, diversos assuntos, como esporte, educação, família e superação, foram abordados em um papo descontraído, que teve a participação da mãe e do avô da garota.

Para Rui Costa, a história de vida de uma menina que nasceu na periferia e tem ultrapassado todos os obstáculos em busca do sonho simboliza o que defende o programa Educar para Transformar – Um Pacto Pela Educação. “Ela é motivo de orgulho para a Bahia. Um exemplo de quem está crescendo com o apoio da família. Isso faz toda a diferença. Tenho sempre pedido para os pais que abracem seus filhos, faça carinho deles e os incentive ao esporte, a cultura e a educação. Nosso povo é cheio de talento. Basta um apoio que as pessoas vão longe”, afirmou o governador.

O reconhecimento foi mais um estímulo para a garota, que sabe muito bem não ter sido fácil chegar até o topo. “Ser campeã nesta idade é muito bom. Vejo o sacrifício que minha família faz para que eu possa viajar e competir. Isso me faz querer sempre ultrapassar meus obstáculos”, disse Leonarda.

A disciplina tem transformado a vida da atleta. Na idade em que poderia estar apenas participando, ela está brigando por uma oportunidade de futuro melhor. No próximo domingo (20), será o exame para a tão sonhada faixa preta, que para a mãe, Daniela Bispo, abrirá ainda mais portas no caminho da filha rumo ao sucesso. “Será mais um obstáculo que a Leonarda vai ultrapassar. Tem sido assim na vida dela. Sempre com sacrifício e empenho, ela tem conquistado o que deseja”.

Estudante do Colégio da Polícia Militar da Bahia (CPM-BA), Leonarda Alves sempre foi exemplo também no ambiente escolar. Em 2015, passou para o 8º ano como aluna graduada 1º tenente, um orgulho para a toda a família. “Com o esporte, ela, que sempre foi boa, ficou ainda melhor. Mais focada e concentrada. O resultado a gente pôde perceber com as notas, que melhoraram muito”, enfatizou Daniela.

Um atleta especial

Nada foi fácil na vida do jovem Igor Nogueira, que esteve com o governador na parte da tarde. Desde 2014, ele pratica o Jiu Jitsu, por meio do Projeto Tatame de Jesus, idealizado pela própria mãe, a coordenadora Marleide Nogueira, como forma de estímulo ao desenvolvimento psicomotor. “Não conseguia me relacionar bem com as pessoas, mas isso está mudando. Treino com todo mundo, me dedico. Gosto muito de treinar e, quando concluir o terceiro ano, vou fazer Educação Física na faculdade”, enfatizou o garoto.

Com 65 alunos, entre crianças e adultos, o Projeto Tatame de Jesus é desenvolvido no bairro de Brotas, em Salvador. As aulas acontecem três dias por semana (segunda, quarta e sexta-feira), sempre pela noite. Segundo Marleide, as técnicas do jiu jitsu confrontam os sintomas do autismo e é uma maneira de proporcionar o desenvolvido dos portadores.

“A aversão ao toque é uma característica forte de um portador de autismo, e no jiu jitsu tem muito contato. Aos poucos, eles passam a se sentir confortáveis com o contato com as outras pessoas. O esporte provoca uma interação e eles também começam a se acostumar. O pensamento fica mais dinâmico, o que ajuda na elaboração dos diálogos. Isso é fundamental”, explicou Marleide. Todo o projeto foi apresentado ao governador Rui Costa, que pretende apoiar a causa com a doação de materiais necessários para prática das artes marciais. Os atletas serão contemplados com tatames e quimonos para as aulas.

Repórter: Leonardo Martins