A música clássica da Camerata da Orquestra Sinfônica da Bahia deu o tom no evento de encerramento das atividades da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), na manhã desta terça-feira (15), no auditório da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). “Este foi um ano de incertezas e, graças à dedicação de todos, temos conseguido superar as dificuldades e podemos começar a imprimir uma visão voltada para resultados e para a excelência”, destacou o secretário Carlos Martins.
A nova visão da Secretaria, bem como sua missão e valores, foram discutidos ao longo de nove meses, com a participação de representantes de todos os setores do órgão. As discussões deram origem ao Mapa Estratégico 2016-2019, que inclui o planejamento da Sedur para os próximos quatro anos. “Toda organização precisa trabalhar fortemente uma estratégia. O Mapa funciona justamente para gerenciar estratégias, com objetivos bem definidos e indicadores para mensurar esses dados. Com isso, esperamos contribuir com o Governo e, mais que isso, contribuir com aqueles que mais precisam”, afirmou Martins, ressaltando também que o Mapa da Sedur pode servir de parâmetro para as demais secretarias.
As estratégias e metas definidas seguem o Plano Plurianual (PPA) do governo para o quadriênio 2016-2019, com foco nas diretrizes de atuação da secretaria, como mobilidade, habitação e gestão territorial. “Nesse momento, temos que arregaçar as mangas e trabalhar mais; transformar a crise em oportunidades”, pontuou o secretário.

Balanço 
Mesmo diante da crise financeira e do contingenciamento orçamentário, a Sedur manteve o cronograma de obras dos seus principais programas. Em habitação, foram entregues, em todo o estado, 17 mil unidades residenciais do Programa Minha Casa, Minha Vida, beneficiando cerca de 68 mil pessoas. Em se tratando de planejamento e gestão territorial, a Sedur prestou assistência técnica aos planos diretores e conselhos municipais locais, além de contribuir com o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) de Salvador.
Já no quesito mobilidade, a capital baiana se prepara para ter a terceira maior malha metroviária do país, com a finalização dos 12 quilômetros da Linha 1 do metrô, prevista para este mês, e os avanços na Linha 2, que já conta com cinco estações em andamento. “Nos últimos dois anos, mobilidade passou a ser fundamental, como saúde e educação. E a Sedur tem o papel essencial de promover mobilidade com acessibilidade, com um transporte público de qualidade e sobre trilhos; um dos mais modernos do mundo”, enfatizou Martins.
Os próximos passos são redesenhar e otimizar os processos internos da Secretaria, fortalecer a cultura para resultados e modernizar a infraestrutura física e tecnológica. “A Sedur tem que ser o melhor lugar pra gente trabalhar. E isso depende de cada um de nós”, arrematou Martins.
Fonte: Ascom/Sedur