Beleza, música e brilho tomaram conta do Largo do Pelourinho no último domingo (6), durante a festa de encerramento das atividades do Novembro Negro 2015 e lançamento da campanha da Década Internacional Afrodescendente. O evento promoveu um grande encontro de blocos afro, que exaltou a cultura e musicalidade negra e chamou a atenção de baianos e turistas. As principais atrações foram os blocos Muzenza e Ile Aiyê. A ação, realizada pelo Fórum das Entidades Negras, contou com apoio da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult).

“O Fórum fez um esforço muito grande, junto com os seus parceiros, para termos neste ano um Novembro Negro diferente, com seminários e várias atividades nos bairros e comunidades. Hoje estamos aqui para agradecer e encerrar esse ciclo com alto astral. Com muita satisfação, alegria e disposição para continuar lutando”, diz um dos coordenadores do Fórum de Entidades Negras, Raimundo Bujão.

A festa teve o cantor Lazzo Matumbi em uma posição diferente, como apresentador do evento. Ainda assim, ele não decepcionou o público presente e cantou diversas faixas junto com os grupos convidados. O evento também contou com participações dos blocos Os Negões, Malê Debalê e Okambi.

Em 2015, a Bahia se tornou, por meio de decreto assinado pelo governador Rui Costa, o estado pioneiro do Brasil a abraçar a campanha da Década Internacional Afrodescendente, instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), fato que foi destacado e celebrado no evento.

Com o tema “Reconhecimento, Justiça e Desenvolvimento”, a campanha é uma oportunidade para destacar a contribuição significativa da população negra à sociedade, bem como propor medidas concretas para promover sua inclusão total e combater todas as formas de racismo, discriminação racial, xenofobia e qualquer tipo de intolerância relacionada. Estão envolvidas na campanha entidades do poder público estadual, municipal e federal, universidades, além das entidades do movimento negro.

Fonte: Assessoria de Comunicação/ Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI).