Duas experiências bem sucedidas da Secretaria do Planejamento (Seplan), nas áreas de consórcios públicos e de monitoramento e avaliação, serão apresentadas, nesta sexta-feira (20), no I Congresso Brasileiro de Gestão Governamental (GesGOV), que acontece em Goiânia. Outras ações, realizadas pelas secretarias da Administração (Saeb) e de Turismo (Setur) e pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), também serão apresentadas no evento.
Com o tema ‘O papel do gestor governamental na superação da crise’, o congresso terá a participação de gestores de carreiras típicas de todo o país, com a presença de entidades de diversos estados, a exemplo da Associação dos Gestores Governamentais do Estado da Bahia, responsável por levar os gestores baianos. Outra entidade promotora da iniciativa é a Federação Nacional de Gestores Governamentais e a Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (Anesp).
A proposta do evento é a difusão e promoção das melhores práticas de gestão governamental. Dentro deste enfoque, representando a Seplan, estarão presentes o diretor de Política Territorial (DPT), Thiago Xavier, e a diretora de Monitoramento da Superintendência de Monitoramento e Avaliação (SMA), Maria Presídio.

Apresentações

No congresso, Thiago Xavier apresentará um trabalho feito por integrantes da sua equipe, sob sua coordenação, com o título ‘Possibilidades para a Evolução da Gestão Pública e Processo de Desenvolvimento Regional: a Cooperação Federativa e os Consórcios Públicos Baianos’. “Vamos apresentar nossa experiência com a política de consórcios públicos e como esta vem inovando a gestão pública no estado”, explica Xavier. O trabalho com consórcios públicos desenvolvido pela Seplan tem sido considerado referência e já foi apresentado em estados como Piauí e Maranhão.
Já Maria Presídio apresentará o trabalho, assinado pela equipe da SMA, intitulado ‘Metodologia e Monitoramento de Programas de Governo – Reorientando Caminhos para a Construção de Novos Processos: a experiência da Seplan/Bahia’, durante o painel ‘Racionalização dos Processos e Procedimento de Administração’. 

O trabalho traz um breve histórico de Monitoramento e Avaliação (M&A) na Seplan e explora o novo modelo de M&A vislumbrado para o estado, o qual vem se estruturando, de maneira dialogada, a partir da análise qualitativa dos instrumentos de planejamento, dos registros e da execução física e financeira das ações orçamentárias, além da elaboração de apontamentos do acompanhamento.

Ao final do congresso será produzida a Carta de Goiânia, com medidas que busquem o aumento da eficiência do setor público. O documento será entregue aos governos de todos os estados participantes.

Fonte: Ascom/Secretaria do Planejamento do Estado da Bahia (Seplan)