Utilizar o esporte como forma de integração e inclusão social. Foi com esse propósito, que o projeto ‘Na Base do Esporte’ reuniu no domingo (29), no Estádio de Pituaçu, em Salvador, 13 equipes formadas por moradores de bairros atendidos pelas bases comunitárias de segurança (BCS). O projeto integra as ações do programa Pacto Pela Vida e foi organizado pelas secretarias estaduais de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Segurança Pública (SSP) e do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb).

O time de Camaçari levantou a taça ao vencer, nos pênaltis, a forte equipe da Base Comunitária de Segurança do Uruguai, por 3 x 2. O terceiro e quarto lugares ficaram com os times das bases de Santa Cruz e Coutos, respectivamente. A competição foi realizada durante todo o dia, com 12 jogos, no esquema de mata-mata, e duração de 30 minutos cada um.

Apesar de consagrar apenas um vencedor, o torneio foi tomado por um clima de vitória e dever cumprido por todos os que participaram do evento, que serviu para o lazer e integração das comunidades. “Isso aqui é muito bom porque dá mais uma opção de diversão para a gente”, disse o meio campista da Base Comunitária de Segurança do Bairro da Paz, Wendel Souza, 17 anos.

Para o treinador do time campeão, Juarez Brito, a principal intenção do trabalho desenvolvido com os jovens não é o de, necessariamente, formar atletas, mas sim cidadãos. “Queremos ajudar a formar grandes homens que, amanhã, podem ser médicos, professores ou que quiserem”.

A coordenadora da Câmara Setorial de Prevenção Social do Pacto pela Vida, da SJDHDS, Ana Paula Sampaio, afirmou que “essa é uma ação simples, mas de grande significado para as comunidades, como também é um momento de interação e aproximação da comunidade com a polícia”.

O secretário estadual do Trabalho, Álvaro Gomes, definiu o momento como “uma confraternização” e tirou o peso da necessidade de vitória dos participantes, ressaltando a importância de todos se divertirem, independentemente do resultado. “Precisamos fortalecer a prática do esporte cada vez mais, como uma forma de inclusão social”.

Times do interior participam da competição

Nem mesmo a longa viagem de 10 horas foi empecilho para o time da Base Comunitária de Segurança de Vitória da Conquista participar do torneio. “Esses jovens que vivem em comunidades vulnerabilizadas devem ser apoiados e estimulados. Os nossos atletas são vitoriosos por saírem de suas localidades e viverem novas experiências”, disse o comandante da base, capitão Hilderin. Participaram da competição os times de São Caetano, Camaçari, Uruguai, Nordeste, Santa Cruz, Águas Claras, Itinga, Rio Sena, Bairro da Paz, Fazenda Coutos, Coutos, Calabar, Chapada do Rio Vermelho e Vitória da Conquista.


Fonte: Ascom/Secretarias de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS)