Com a proposta de facilitar o acesso da população mais carente a serviços públicos considerados essenciais para o bem estar social, o Governo do Estado realizou, neste sábado (21), no Colégio Estadual Renan Baleeiros, no bairro de Águas Claras, em Salvador, mais uma edição do Mutirão Social do Programa Pacto pela Vida (PPV), por meio da Câmara de Prevenção Social. A ação teve o apoio da Base Comunitária de Segurança (BCS) do bairro.

O titular da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Geraldo Reis, visitou a unidade de ensino e conferiu o andamento dos trabalhos. "O fato de o mutirão acontecer em uma escola é de muita importância porque este é o ponto sinérgico da comunidade. Queremos que as escolas, mais do que ensinar português, matemática, ciências, etc., também contribuam com as nossas comunidades".

Esta edição do evento integra a programação alusiva ao Novembro Negro. Por meio de colaboradores do Tribunal de Justiça e da Defensoria Pública, quem procurou a unidade de ensino recebeu orientação jurídica em várias áreas. A diarista Marizete de Jesus, 42 anos, aproveitou o sábado de folga e procurou o mutirão. "Vim pegar informações sobre pensão alimentícia. Estou com este problema há muito tempo e hoje eu vim aqui resolver. Estou saindo daqui bem satisfeita".

Policiais da BCS Águas Claras, entre eles, o comandante da base, o tenente PM Leonardo Dias, também acompanharam de perto os trabalhos. Apesar da grande procura, não houve tumulto ou confusão no entorno, tampouco nas dependências do colégio.

Uma das salas de aula foi ocupada pela equipe do Ministério Público do Estado da Bahia (MPE-BA), que distribuiu informativos sobre prevenção e combate a crimes cibernéticos e violência doméstica, saúde mental, entre outros.

Ao Procon estadual coube esclarecer a população sobre os direitos do consumidor e, ao SineBahia, a intermediação da mão-de-obra. Entre as ações da Secretaria Estadual de Promocão da Igualdade Racial (Sepromi) realizadas no evento, estão o atendimento e orientações a vítimas de racismo.

Também foi possível emitir a 2 via da Certidão de Nascimento e dar entrada no Cadastro de Pessoa Física (CPF). Teve quem optou por fazer a avaliação alimentar e nutricional. Uma das pessoas interessadas em se adequar a um estilo de vida mais saudável foi o motorista Catarino Ribeiro, 31. Por meio do serviço desenvolvido da superintendência de Inclusão e Segurança Alimentar (Sisa), vinculada à SJDHDS, ele aferiu a pressão arterial, mediu a circunferência abdominal e verificou o peso e a altura. "Acho importante [o mutirão do Pacto pela Vida] porque aproxima a população de serviços que, às vezes, estão um pouco distantes. Algumas pessoas que não têm acessibilidade para ir a um cartório, emitir um documento. Então, este mutirão num bairro aproxima muito. É válido".

O resultado da avaliação nutricional fica pronto na hora. Se o mesmo indicar sobrepeso ou algum grau de obesidade, a pessoa é encaminhada para universidades parceiras, onde inicia um acompanhamento dietético contínuo, inclusive, nos casos confirmados de diabetes e hipertensão.

No local, também foi realizado o Fique Sabendo – teste rápido de HIV e sífilis.

Oficinas

Gerar renda com a criação de peças artesanais e turbantes foi uma das atividades gratuitas que movimentaram as dependências do colégio. A instrutora do curso de turbantes Tâmara Rodrigues explicou o porquê de compartilhar as habilidades com os panos que fazem a cabeça de muitas mulheres. "Não é necessário gastar com a compra de diversos panos caros. [Turbantes] se faz com roupa usada, malha, aquela calça de malhação que já não usa mais, aquela blusa de manga torna um turbante. Então, é uma fonte de renda. É economia solidária".

Para distrair a criançada enquanto os jovens e adultos eram atendidos, a Sudesb realizou uma série de atividades lúdicas e recreativas, como contação de história, cama elástica, piscina de bolinhas, teatro de fantoches, entre outras. A Biblioteca Móvel da Fundação Pedro Calmon (FPC) com suas dezenas de títulos infantis também marcou presença e foi uma atração à parte.

Como parte da programação cultural, a Band’Erê, banda mirim do Ilê Aiyê interpretou grandes sucessos do bloco afro, também conhecido como o Mais Belo dos Belos.

Apesar da pouca idade, o estudante Jonatas Reis, 12, fez questão de assistir a palestra sobre cuidados com os dentes. Ele foi uma das dezenas de crianças que levaram pra casa um kit para higiene bucal. "É importante cuidar do dente todo dia para tratar [evitar] a cárie e as bactérias", observou.

Repórter: Jhonatã Gabriel