Entre 2014 e 2015, 68,8 mil novos casos de câncer de próstata foram confirmados no Brasil, segundo estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Na Bahia, para que a população possa ser diagnosticada a tempo de fazer o tratamento, o Governo do Estado, por meio do Programa Pacto pela Vida, está disponibilizando exames gratuitos nos locais onde há bases comunitárias de segurança.
 
Nesta semana, o Bairro da Paz recebeu um consultório itinerante, que realizou mais de 100 atendimentos até este sábado (14). Na próxima semana, a iniciativa estará em Fazenda Coutos, liderada pelo urologista Modesto Jacobino, do Hospital Lithocenter.

Atendido no consultório itinerante, o aposentado Ermes Ferreira, 70 anos, está tranquilo e aliviado mesmo após ter descoberto que sua próstata apresenta algumas alterações. “Se não tivesse aparecido a oportunidade de fazer o exame aqui no bairro, perto de casa, acho que não teria descoberto tão cedo que tenho problema de próstata. Fiz o exame ontem [sexta-feira, 13] e, junto com o resultado, já recebi o remédio e comecei o tratamento”. 

 
Diagnóstico precoce e cura
 
O urologista afirma que caso Ermes não tivesse descoberto o inchaço da próstata, o problema provavelmente evoluiria para um câncer. “O diagnóstico precoce é muito importante, pois torna possível se evitar que vire câncer ou, se a doença já tiver instalada, que se espalhe para outras estruturas. Então, todo homem, a partir dos 40 anos, deve fazer o exame de próstata regularmente”. A unidade móvel também oferece ginecologia e cardiologia, em dias distintos.
 
O câncer de próstata ocorre principalmente em homens mais velhos. Seis diagnósticos são positivos a cada dez exames realizados por homens com mais de 65 anos, sendo rara a doença antes dos 40 anos. O câncer de próstata é a segunda principal causa de morte por câncer em homens, superado apenas pelo de pulmão. A estimativa é de que um homem, em cada 36, morre de câncer de próstata.
 
Bairro da Paz: mais de um ano sem homicídios
 
O capitão Henrique Alves, comandante da Base Comunitária de Segurança do Bairro da Paz, afirma que a população local aproveita as oportunidades que são levadas à região pelo Pacto pela Vida. “No mês passado tivemos o Outubro Rosa, com exames de prevenção ao câncer de mama. Também temos vários eventos culturais e sociais. E essa aproximação entre o Estado e a comunidade se reflete na redução dos índices de violência. Há mais de um ano que não registramos homicídios no Bairro da Paz”.
 
Modesto Jacobino informa que já tem esta parceria com o programa Pacto pela Vida há cerca de três anos. “Eu já atendo muita gente da Polícia Militar. Então, recebi o convite para participar do programa oferecendo os exames nas comunidades. De lá para cá, venho trabalhando com a Polícia Militar neste trabalho importante para a população carente, que não teria condições de fazer o exame, ou por falta de oportunidade, ou por falta de informação”. 

Repórter: Raul Rodrigues