As oito entidades selecionadas por meio de edital publicado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), assinaram os convênios para o desenvolvimento de atividades durante o Novembro Negro, lançado na noite desta sexta-feira (6), no Museu de Arte da Bahia (MAB), localizado no Corredor da Vitória, em Salvador. Diversos representantes do movimento negro, personalidades, autoridades, entre elas, os secretários estaduais Geraldo Reis (Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social), Jorge Portugal (Cultura) e Vera Lúcia Barbosa (Sepromi) participaram do evento. A programação completa do Novembro Negro está disponível no site da Sepromi.

As propostas contempladas são dos formatos caminhada, marcha, seminário, capacitação, encontro e ação de empreendedorismo, e estão enquadradas nas categorias "Reconhecimento", "Justiça" e "Desenvolvimento". A secretária Vera Lúcia observou que as referidas categorias são eixos da Década Internacional Afrodescendente, incorporada na Bahia, por meio de decreto assinado em setembro pelo governador Rui Costa. "Temos ações afirmativas do governo para a população negra durante todo o mês, sejam elas do campo ou da cidade".

Para Nadinho do Congo, produtor de cultura afro e membro do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN), a Bahia tem registrado conquistas nas políticas em prol deste grupo social, mas é preciso avançar ainda mais. "Eu, na condição de representante do CDCN, professor de música, dança, capoeira e representante de uma cultura que nasceu há 160 anos, estou satisfeito por estas discussões. A secretaria tem nos ouvido".

A Associação Cultural Aspiral do Reggae, há 11 anos com sede no Pelourinho, é uma das organizações da capital que foram selecionadas via Edital Novembro Negro. O presidente da entidade, Kamaphew Tawa, explicou que o resultado da seleção será uma apresentação de reggae no Dia da Consciência Negra. "É importante porque vamos dar continuidade ao trabalhos que a gente vem fazendo, que é o de conscientizar a nossa população através da marcha, que vai ser realizada no dia 20 [de novembro] com shows de artistas que expressam nas letras a preocupação de conscientizar".

Entre as entidades com atuação no interior, uma das selecionadas é Associação Comunitária Quilombola Amigos do Agreste, presidida por Carmelice Rosa. Há mais de 20 anos no município de Seabra, na Chapada Diamantina, nos dias 30 de novembro e 1° de dezembro, a associação vai proporcionar a capacitação de 200 lideranças quilombolas durante um encontro. "Vamos realizar palestras para ensinar as pessoas sobre os meios para buscar mais desenvolvimento para as suas comunidades. Existem lideranças que precisam de mais formação", afirmou Carmelice.

Além de diversas manifestações artísticas com temática afro entre elas música, teatro e dança, o lançamento contou com a exposição fotográfica "Faces", de Alvaro Villela, e a apresentação do projeto "Memórias de Resistências Negras", de Lázaro Roberto.

Repórter: Jhonatã Gabriel