Com a presença de um público entusiasmado e curioso, o Afro Fashion Day aconteceu pela primeira vez em Salvador, na tarde de sexta-feira (20), na Praça da Cruz Caída, no Pelourinho. Em celebração ao dia da Consciência Negra, o evento foi idealizado pelo jornal *Correio, com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial da Bahia (Senac-BA). O objetivo foi reforçar a importância da cultura negra, levando moda e gastronomia ao público.

A representante da Sepromi, Tatiana Lírio, destacou a importância de valorizar o negro na sociedade. “O desenvolvimento e o empreendedorismo negro é algo muito importante a ser incentivado, além da valorização da produção local”. Inspirado nos eventos de moda que acontece pelo Brasil, como o São Paulo Fashion Week, o idealizador do Afro Fashion Day, Sérgio Costa, explicou que o desfile realizado em Salvador tem a sua própria identidade. “Tem a com nossa cor, o nosso tempero, a nossa cultura. Por isso, nada melhor do que acontecer no dia da Consciência Negra”.

Além das oficinas de turbante e de maquiagem, e da comida baiana, a moda e a venda de roupas atraíram o público ao Pelourinho. O desfile trouxe criações de roupas e acessórios de designes locais. Foram mais de vinte e seis marcas vestidas por 40 pessoas, entre modelos e convidados negros.

Peças da moda verão, outras com estampas gráficas, preto e branco e demais modelos completaram o desfile, junto com belos turbantes coloridos e estampados. “A minha marca já traz uma abordagem dessa luta antirracista, e participar deste evento mostra a importância do papel da moda e do design, do enfrentamento ao racismo que infelizmente está presente na sociedade brasileira”, disse a estilista Carol Barreto.

A programação foi bem acolhida pelo público, que buscou aproveitar cada serviço disponibilizado. “Este evento e sua representatividade são de extrema importância, pois reforça a figura do negro na sociedade como referência”, comentou a afro educadora, Driele Oliveira, que prestigiou o evento com um grupo de amigos.

A produção do Afro Fashion Day teve como objetivo mostrar a cultura negra de forma positiva e divertida, sempre com a participação do público. “O evento acontece numa tarde muito simbólica, para reforçar as raízes nesse dia de consciência negra, trazer moda, cultura, gastronomia e entretenimento pra cidade”, explicou a gerente comercial do Afro Fashion Day, Luciana Gomes.

Repórter: Lorena Correia